Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Parte 1 (1/2) Isabelly Blanch 2079 18/06/2017 às 21:24:38
DCAT 5º ANO: AMIGA É PARA ESSAS COISAS… Lara Lynch 4922 17/07/2016 às 04:16:34
Passado? Parte 2 Steffano Di Facchini 4786 09/07/2016 às 20:29:55
Passado? Parte 1 Steffano Di Facchini 4761 09/07/2016 às 20:28:44
Chegando em Kosice Steffano Di Facchini 4821 09/07/2016 às 20:27:07

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: webmaster@zonkos.com.br

Africa do Sul Alexandra Heinrich [ 17206 ]

Situação Atual: CADASTRO NORMAL E ATIVO

  • Alexandra Heinrich
  • Professor Durmstrang

  • Professor Durmstrang

  • NOME COMPLETO

    Alexandra Legrand Heinrich

  • RAÇA

    Humana

  • CLASSE

    Mágica

  • ALTURA

    1,76m

  • PESO

    65kg

  • OLHOS

    Azul Claro

  • CABELOS

    Loiro Claro

  • SEXO

    Feminino

  • OPÇÃO SEXUAL

    Heterossexual

  • IDADE

    22 anos

  • DATA DE NASCIMENTO

    25/03/1994

  • SIGNO

    Áries

  • NOME DO PAI

    Valentin Heinrich

  • NOME DA MÃE

    Josephine Legrand

  • ORIGEM SANGUÍNEA

    Mestiço

  • LOCALIDADE

    Mundo Mágico

  • CIDADE/PAÍS

    Cidade Do Cabo/Africa Do Sul

  • NÍVEL

Crianças gritando, brincadeiras de rua, correr descalça, sol forte contra pele; são essas as memórias que emergem quando a infância vêm à tona. Nascida na África do Sul, moradora da Cidade do Cabo, Alexandra Heinrich não era sua típica bruxa. Os traços deixavam claro a origem europeia, enquanto seus atos desconsideravam grande parte dos ensinamentos um dia passados para os pais. Sempre uma criança sapeca e gentil, espantava aqueles que conheciam seu coração de ouro o tanto de confusões em que estava no centro. Não era capaz de levantar um dedo contra os amigos - e estes eram muitos -, mas todo dia encontrava uma nova forma de explorar o mundo: via-se enroscada em plantas, afofada por animais, por vezes perseguida, e sempre escalando muros muito altos para sua pequena estatura.

De fato, Alexandra sempre soube das origens bruxas. Os dias de criança, compostos também dos mais diversos acidentes, mostravam o quão gritante e carregada sua magia era. Os pais, que nunca esconderam aquela parte de sua história, em muito orgulhavam-se da pequena loira. Percebiam com certo cuidado a magia nela, com medo de chamaram demasiada atenção, mas logo perceberam que apesar dos acidentes constantes, a própria magia se conscientizava daqueles a seu redor; mais tarde, aprenderiam, todos os sinais que Alexandra apresentava eram amostras não apenas do seu poder, mas o que viria a se tornar grande eficiência para o controle de magia com as mãos.

De qualquer modo, tudo isso não significava que Alex não cresceu em segredos. Amava os pais e conhecia muito bem o avô, um homem gentil e alegre para consigo, ainda que parecesse sempre temer. A avó por parte de pai era um mistério, e raramente mencionada de baixo de seu teto. Quanto a família da mãe, sabia que nunca ficaram satisfeitos com seu casamento com Valentin, por isso o contato sempre foi curto durante a infância. O que realmente chamava atenção de seu lado curioso era a avó misteriosa, mas logo aprendeu a não perguntar; não apenas não conseguia respostas, como deixava os pais aflitos e o avô entristecido, duas coisas que ela nunca queria.

Por isso, suas atenções se voltavam para três coisas em específico: Agradar os pais, explorar o mundo - com tantos amigos quanto possível - e aprender um pouco mais sobre sua magia. À medida que os anos se passaram, viu-se cada vez mais interessada pelo que era relacionado a natureza, criando uma paixão muito grande por todo tipo de planta e animal, muito consciente daqueles que mais tarde viria a classificar como trouxa. A partir de seus seis anos, a mãe, arriscando-se, começou a viajar consigo, muitas vezes sem a presença do pai, apresentando-lhe mais do mundo bruxo e, principalmente, da flora e fauna que o compunha. Eram viagens rápidas, arriscadas, mas Alexandra nunca percebeu; divertia-se na companhia da mãe, e era incrível o tanto que via e podia aprender.

Mais tarde, viu-se como uma estudante de Uagadou. Infelizmente, sapatos faziam parte do uniforme, contudo (risos), ela verdadeiramente amava a escola. Não apenas pela tradições incríveis, as apresentações encantadoras e o senso de respeito entre os alunos, como também o longo histórico de pesquisa e exploração em relação a área de magia que era, com certeza, sua preferida. Viu-se, à medida que os anos passaram, cada vez mais aprendendo sobre sua magia, assim como o controle desta com as mãos, como também pesquisando e entendendo mais dos animais que compunham o mundo. Estava claro que, ao se formar, desejava pesquisar, explorar, até mesmo ajudar os animais, alguns dos quais corriam perigo de extinção e outros tão poderosos ou úteis que alguns bruxos caçavam-nos.

Formou-se um ano mais tarde que o comum - tudo porque o pai, por razões que nunca entendeu por completo, apenas permitiu sua entrada na escola um ano mais tarde que o 'certo' -, e logo viu-se juntando a um grupo de amigos que não pretendiam continuar em suas moradas comum. O trabalho que faziam era, de fato, perigoso, e a pouca experiência contava para a eficácia, mas aos poucos aprenderam parte do que precisavam; viu-se conhecendo muito mais da África, do Brasil, Austrália, entre diversos outros lugares. As áreas, não turísticas, costumavam ser as menos confortáveis e pouco visitadas, mas Alexandra nunca se importou - amava a adrenalina das viagens, o perigo que corria não era assustador e sentia-se realizada toda vez que descobriam uma informação nova ou podiam ajudar alguma criatura.

Finalmente, e contra todas as suas expectativas, surgiu a oportunidade de um trabalho que ela nunca antes havia considerado: tornar-se uma professora. Método de Combate a Criaturas Mágicas, era esse o nome que leu em um panfleto, agora com vagas abertas para lecionar no famoso instituto de Durmstrang. De verdade, seu normal seria passar o olho e ignorar, em parte por se considerar inexperiente, em uma parte muito maior por não ser o tipo de trabalho que desejava, numa instituição que só poderia sair nos finais de semana, fazendo as mesmas coisas sempre.

O que, então, a convenceu? Simples, desde sua entrada em Uagadou, viu-se cada vez mais fascinada por compreender a história de sua família, especialmente as partes que se mantinham escondidas. Não era surpresa que o avô não tivesse estudado ali, afinal, os traços europeus eram claro, contudo logo descobriu de onde ele vinha. Somou, então, um mais e um, e chegou a conclusão de que de todas as instituições, era possível que tivesse sido aluno de Durmstrang. O fato de surgir uma oportunidade onde pudesse ir para lá e fazer suas pesquisas, isso sim a motivou; depois, estaria trabalhando com criaturas mágicas, o que não parecia, de fato, desagradável. Muito pelo contrário.



Este perfil já foi visualizado 125 vezes. Atualizado pela ultima vez em: 29/08/2017 às 01:27:59