JORNAL LUMMUS

LIECHTENSTEIN, 17 de janeiro de 2018.

Treinamento Antiterrorismo: Conheça as motivações para tal ação
"O Ministério da Magia se prepara para um ataque terrorista".
Imagem


Depois dos fatídicos acontecimentos que englobaram a comunidade bruxa, como o jantar beneficente sediado no Banco de Gringotts, onde vários membros da realeza bruxa e pessoas do alto escalão trouxa foram envenenadas, bem como, para agravar a situação, ocorreu a morte do Alto Inquisidor Niklaus Vanderhoff, o Ministério da Magia decidiu desenvolver um evento pelas ruas do Magic Garden Cond no meio das férias escolares, em pleno continente americano.

Fomos comunicados de que vários bruxos receberam cartas do Ministério da Magia, convocando-os para um "treinamento antiterrorismo". E o que foi deixado claro por eles nesta convocação é que este treinamento não é originado de uma ameaça ou ataque, mas tem como principal objetivo orientar os civis a respeito de como devem reagir durante um ataque. Contudo, mesmo que tenham especificado o motivo, algumas dúvidas ficaram no ar se essa era verdadeira justificativa desse treinamento. Depois de tentar contato com os responsáveis desse evento, a única resposta que obtivemos foi esta: "Tudo que se precisa saber está no conteúdo da carta, nada nos garante que não soframos um novo ataque do 'Mestiço Mascarado'. E, como não temos aurores suficientes para lidar com uma tragédia de grande escala, precisamos preparar os civis. Principalmente para não entrarem em pânico e acabarem revelando a existência do nosso mundo". Tentamos novamente conseguir informações mais concretas sobre do porquê desta atividade, mas não desta vez, ninguém da organização nos respondeu.

Conversamos com alguns dos convocados, antes dos treinamentos começarem, e fizemos a mesma pergunta para todos "O que acham deste treino?". As respostas foram das mais variadas, como já era esperado. Alguns concordaram com o treino e estavam animados com a ideia de terem um preparo para saberem como lidar com tal situação, enquanto outros, mostraram-se desconfiados do motivo, mas decidiram participar por também acharem importante estar preparados. Ainda há outro grupo de opiniões onde acham que se um novo ataque ocorrer, deve ser responsabilidade do Ministério estar preparado, não da população.

Muitas pessoas participaram, de diferentes lugares do mundo bruxo, seja enfermeiros, jornalistas, funcionários do ministério, jogadores profissionais de Quadribol, entre outras profissiões. A jornalista que participou afirma que tudo estava muito bem preparado e que em alguns momentos, esqueceu-se que tudo não passava de uma mera simulação. Isto por quê? Tiveram mortes causadas por acidentes, bem como, causadas por um bruxo que não conseguiu ajudar ou fez uma escolha errada. Explosões e ataques de trouxas contra os bruxos também fizeram parte da simulação. Os participantes tiveram que fazer muitas escolhas que poderiam levar alguém despreparado a agir de maneira prejudicial, não só para ele, mas para todos, caso aquele fosse um acontecimento real.

Para se ter ideia do treinamento, os convocados tiveram que escolher entre apagar uma casa em chamas que poderia estar cheia de pessoas presas, ajudar alguém no meio da rua que estava sem algum membro do corpo, ou ajudar um colega bruxo que estava sendo perseguido por trouxas furiosos. Muitos podem pensar que no último caso era apenas jogar uma azaração no perseguidor e ir embora, mas no treinamento, era extremamente proibido causar danos graves a alguém fora da comunidade bruxa. Pensamento este que é totalmente aceitável, já que com certeza poderia revelar a nossa existência e aumentar ainda mais o caos. Inclusive, foi com esse descuido de usar magia para se proteger ou ajudar alguém que raiva de trouxas que estavam por perto foi despertada ainda mais, por não entenderem o que acontecia, começaram a atacar os bruxos que estavam no treinamento.

Todos os participantes terminaram o treino com diferentes sentimentos, alguns confiantes de suas ações, já outros abalados psicologicamente com as consequências de suas escolhas. Mas ninguém pode negar uma coisa: que sentiu na pele o que pode ocorrer em um provável ataque contra a sociedade bruxa. Bem como, com total certeza, se sentiram mais preparados para qualquer situação, mesmo que não seja um ataque terrorista, mas sim, qualquer uma que precise de calma para ser resolvida. O que nos resta agora, é esperar para que depois deste treinamento a situação não piore ou que, no mínimo, a sensação de segurança aumente nos cidadãos da comunidade bruxa.

E aqui vai um aviso tanto para os bruxos que participaram, quanto para os que não participaram: estejam preparados. Nunca se sabe quando um ataque pode ocorrer, se ajudem, se protejam e pensem bem nos seus atos. Não adianta ficar desesperado, respirem fundo e tentem ajudar o máximo de pessoas possíveis, no treino era possível desistir e sair a qualquer momento, mas na vida real isso não acontecerá.

Escrito por: Eillen Hastings.

701 Visualizações
24/04/2017 às 14:01:26



JORNAL LUMMUS

LIECHTESTEIN, 09 de Outubro de 2016

ASSASSINATO NO MINISTÉRIO
Sociedade Mágica em Terror e Vigília Constante
Imagem


Não bastando o horror vivido pelos que estavam no jantar do Gringotts, com diversos membros do alto escalão dos mundos mágico e trouxa sendo envenenados nesta fatídica noite de Outubro – atentado este planejado e executado pelo chamado de “Mestiço Mascarado”, causando um temor que acomete toda a população, que teme pela própria segurança, uma série de mortes tomou conta também do Ministério da Magia de Liechtenstein, entre os mortos estava o Alto Inquisidor, Niklaus Vanderhoff.

Diversos funcionários do Ministério foram encontrados mortos, todos apunhalados com facas de prata que ainda se encontravam nos corpos das pessoas quando os socorristas chegaram ao Ministério da Magia. Os primeiros atendentes que se prontificaram a atender o chamado no Ministério ficaram chocadas pela terrível cena que se desdobrava diante deles. Pelo que apurou o grupo de socorristas, a morte dos funcionários encontrados foi vital para que o objetivo principal da operação terrorista fosse bem-sucedida, o assassinato do Alto Inquisidor. Todas as evidências apontam para o suicídio destes funcionários, já que, após análises, as facas utilizadas mostraram ter apenas as impressões digitais dos funcionários em que foram encontradas. Apesar de funesto, não foi descartada a possibilidade da utilização da Maldição Imperius em meio ao plano nefasto que tomou conta da sociedade bruxa, que causou tamanho desencarne coletivo no centro de poder do mundo mágico.

A funcionária que encontrou a trágica cena, que trabalha no Departamento de Acidentes e Catástrofes Mágicas, Louise Françoise La Valliére, preferiu não realizar uma declaração pública neste primeiro momento, entretanto, de acordo com seu depoimento aos aurores, o corpo do Alto Inquisidor tinha uma textura de casca de árvore seca e, conforme os relatórios do legista, os órgãos internos estavam completamente apodrecidos. Como o Alto Inquisidor, em sua última aparição pública, estava perfeitamente saudável, a investigação está explorando o ponto de vista de magia das trevas ainda não identificada e efetivo homicídio doloso.

Conforme apurado pela equipe de campo do Lummus, a maior parte dos indícios apontam para o motivo de tal atrocidade ser o decreto vazado que estava para ser homologado pelo Alto Inqusidor, que envolvia a retirada de poder das mãos da Suprema Corte de Wizengamot e centralização do mesmo no Alto Inquisidor.

Segundo os aurores responsáveis pela investigação, até o momento desta publicação nenhum grupo se declarou responsável pelo atentado, mas tendo em vista os recentes eventos ocorridos no Gringotts, tudo aponta para O Mascarado e, considerando as condições e a hora em que os atentados ocorreram, o mesmo não agiu sozinho.

Cabe agora esperar pelos posicionamentos derradeiros das equipes dos aurores e da Suprema Corte, para que os culpados sejam levados à julgamento o mais rápido possível e a comunidade mágica possa encontrar paz em um período tão negro.

Escrito por: Timothy Thompson Hearst.

1.298 Visualizações
30/11/2016 às 14:59:34

Cadernos
Notícias
Jornalistas