Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Diário do Josh - Últimos dias antes da escola. Joshua P. A. Nolan 3016 17/01/2019 às 11:12:01
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 2490 22/11/2018 às 18:19:24
É LUFA - LUFA!! Oh Ha Na 3580 08/09/2018 às 18:24:13
Indo para Hogwarts! Oh Ha Na 2680 08/09/2018 às 18:20:17
A súcubo do Apocalipse Lilith Ambrew 2608 08/09/2018 às 09:11:11

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

German Antarctic Territory Prison (GATP)

German Antarctic Territory Prison (GATP)

MensagemPolonia [#162685] por Jasper Specter II » 27 Mai 2016, 19:50

  • 17 Pts.
  • 16 Pts.
  • 159 Pts.
Imagem
Jasper Specter II
Mundo Mágico
Avatar do usuário
Sic Parvis Magna!
 
Reg.: 21 de Jan de 2015
Últ.: 07 de Mar de 2019
  • Mensagens: 141
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 17 Pts.
  • 16 Pts.
  • 159 Pts.

Postado Por: M.


Re: German Antarctic Territory Prison (GATP)

MensagemPolonia [#162687] por Jasper Specter II » 27 Mai 2016, 21:19

  • 16 Pts.
  • 10 Pts.
  • 155 Pts.
      - Abram a 78! – O homem escutou a voz de um dos guardas e imediatamente a porta de grades de aço inoxidável abriu-se com o barulho característico que Antön ouvia a mais tempo do que gostaria. Fazia quanto tempo que o alemão chamava a contra gosto àquela cela fria de lar? Lembrava-se quando há trinta e dois anos pisara pela primeira vez na Antártida e alguns meses depois em GATP, uma prisão secreta feita especialmente para cientistas que traíam seu país. A dor de deixar para trás sua esposa e filho e talvez nunca mais encontrá-los em vida era perturbadora e mesmo após tantos anos ela o incomodava, todas as noites, se tornando líquida e descendo pelo travesseiro antes de Morpheu abraçá-lo com seu manto de sono.

      Não dividia a cela com ninguém, pelo fato de a prisão ter apenas cem presos e celas em abundância. Antön era um prisioneiro exemplar, apesar de em sua jornada em GATP não ter presenciado uma única briga que pudesse manchar sua reputação e caráter e os agentes penitenciários apenas o incomodavam quando eram feitas as contagens, todas as manhas e noites. Preferia comer longe dos outros encarcerados, mesmo que nenhum tenha feito algum crime contra a vida para estar ali, eram apenas cientistas que haviam deixado serem corrompidos e foram descobertos. Von Kroussi sentia-se e sabia ser diferente desses pedaços de lixo, mesmo que em sua ficha estivesse a acusação de traição à missão pelo qual fora enviado a fazer na Antártida.

      Haviam armado para ele. Ficara em investigação por cerca de dois meses e tudo batia, existiam provas como sendo ele o culpado pelo projeto que envolvia a cura de alguns tipos de cânceres e alguns protótipos terem desaparecido e algumas semanas depois encontrados destruídos em sua casa improvisada no Território Alemão na Antártida. Não havia como ele refutar provas tão concretas como aquelas, que encerravam sua carreira de cientista e o fariam ser preso pelo resto de sua vida, mesmo ele jurando ser inocente. Pagar trinta e dois anos por um crime que não cometeu faria qualquer um enlouquecer, mas Antön permanecia firme que nem que fosse um dia antes de sua morte, provaria para todos que era inocente e tiraria seu nome da lama. Ah, como sentia falta de sua família, das carícias de sua esposa, de ver seu filho. Como ele havia se transformado? Seu garoto deveria ter trinta e cinco anos. Era casado? Tinha filhos? E sua esposa, ainda estava viva?

      Levantou-se da cama e se virou para o lado, colocando os pés no chão gélido. A prisão tinha um sistema de aquecimento que não funcionava direito há tempos e era culpada por seus últimos três resfriados. Olhava curioso para a cela aberta e franziu a testa quando notou a presença do diretor, que nunca tirava a bunda de sua poltrona confortável em seu escritório. O que ele fazia na cela 78?
      – Herr Direktor... Was bringt sie denn hier? – O alemão de olhos azuis encarou o homem com terno caro se aproximar e sentar-se na ponta de sua cama. – Tenho um presente para o senhor, Dr. von Kroussi. – O diretor mantinha um olhar soturno e a maneira como ele dizia aquilo fez com que Antön deixasse seu rosto ser estampado pela curiosidade e confusão. Não chamavam-no daquela forma desde que entrara em GATP e se chamavam, era apenas para provocar ou tirar sarro. O outro alemão entregou-lhe um papel que parecia ser uma carta de Indulto assinado pelo próprio presidente da Alemanha, Joachim Gauck, extinguindo sua pena de sessenta anos. – Não entendi, herr Direktor. – Deixou a carta cair sobre suas pernas e olhou novamente para o diretor.

      - Veio à público novas provas que indicam sua inocência. Você vai embora hoje, Antön. – O homem deu um pequeno tapa nas costas do futuro ex-prisioneiro e levantou-se da cama, sua atenção atraída para o que parecia um graveto fino retorcido em cima da pia onde von Kroussi escovava os dentes. – Você ainda mantém esse pedaço de madeira? Depois de todos esses anos? O que ele tem de importante? – Balançou a cabeça com a falta de resposta e caminhou até o lado de fora da cela. – Fechem a 78! – Esperou a cela ser fechada e então. – Daqui uma hora um guarda vem buscá-lo. Você irá direto para a Alemanha, Herr Präsident estará te esperando. – Afastou-se da visão de Antön, deixando-o apenas com a presença de seus confusos pensamentos. O velho alemão levantou-se da cama e dirigiu-se para a pia e o espelho, pegando o pedaço de graveto e guardando-o no bolso da calça jeans. Aquele “graveto“ era extremamente importante, afinal, precisava dele para fazer magia. Olhou-se no espelho e observou seus olhos azuis marejados e a emoção transbordando através de seu rosto. Iria ver sua família novamente. A dúvida à respeito das provas que apareceram por agora estava em segundo plano, a felicidade queimando em seu peito por saber que iria embora daquele inferno gelado.

Início da trama de Antön von Kroussi
Imagem
Imagem
Jasper Specter II
Mundo Mágico
Avatar do usuário
Sic Parvis Magna!
 
Reg.: 21 de Jan de 2015
Últ.: 07 de Mar de 2019
  • Mensagens: 141
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 16 Pts.
  • 10 Pts.
  • 155 Pts.

Postado Por: M.



Voltar para Polos (Ártico e Antártica)

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante