Página 1 de 1

Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 02 Out 2013, 16:12
por Zoey Bloom
Aprendizado de Característica

Personagem: Miriam Wu
Característica: Luta
Status: Iniciado!

Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 03 Out 2013, 01:24
por Miriam Wu
{ Post 00 - Introdução }
{ Aprendizagem de Habilidade }
{ Luta }




Oito anos atrás – Xangai (China)


                Os olhos esverdeados observavam sua “presa” atentamente. Era sempre a mesma cena que acontecia desde que a jovem chinesa conseguia se lembrar. Sempre acabava daquela forma, não importava quantas vezes fosse mandada para um orfanato, quantas vezes ela fosse entregue a uma família adotiva, acabava sempre ali nas ruas de Xangai. Afinal, ninguém queria uma aberração dormindo sob seu teto, e comendo da mesma comida. Mas era melhor assim, nas ruas ela sabia se virar, sabia sobreviver um dia após o outro. Já adoecera, quase fora morta por algum viciado, sua vida era aquela. E nada iria mudar.

                A morena suspirou profundamente enquanto caminhava atrás do homem, escondendo-se quando ele se virava para olhar a rua lotada, aquele homem não era um turista, não. Ele era dali, mas parecia que esteve anos longe, então parecia ser tudo novo e familiar ao mesmo tempo. Lembranças antigas com novas sendo adquiridas. A garota não se importava, era apenas mais uma presa. Mais um que ela roubaria algo para seu sustento, o trabalho pesado naquela fábrica não dava nem ao menos para comprar um pão decente, mas ela não podia mais voltar para seu antigo “emprego”, tinha feito confusão demais, aquele panaca jamais encostaria as mão nela novamente, valera a pena.

                O homem parou perto de uma loja, aquela era a chance da morena. Ela se aproximou devagar, se esgueirando por entre as pessoas como uma cobra até chegar ao seu alvo distraído com alguma coisa que vira na vitrine. Um celular, talvez? Pouco importa. Não aquilo, o que importava apenas para a jovem era algo de valor que aquele homem carregasse. Próxima o suficiente a morena colocou a mão no bolso da calça delicadamente, a carteira estava quase do lado de fora quando sentiu algo agarra-la. Os olhos verdes ergueram-se ao ouvir a voz que se dirigia a ela, medo percorreu todo o corpo da menina. Jamais fora pega roubando. Porém ela não podia ficar parada, num movimento rápido a morena chutou o homem com toda a força, mesmo assim ele não a soltou fazendo a garota irritar-se acabou por dar um soco no pulso do homem, que esse surpreso – e com dor - a soltou e tudo que ela fez foi correr o mais rápido que ela conseguia.
                Ela ouvia a voz do homem atrás de si, o pior era que ele não desistia, não importava o quanto corresse, ele a alcançou. O coração da menina estava acelerado, para onde ele a levaria? Ele a mataria? Bem... Ela não deixaria isso acontecer. A morena puxou a faca que carregava consigo, o homem ergueu as mãos sorrindo.
– Não vou lhe fazer mal, pequena. – disse ele em chinês. Ele parecia calmo mesmo tendo uma arma apontada para ele – Se... Se aproxime... De mim e eu o mato! – a jovem se afastou um pouco mantendo seus olhos atentos ao homem como se a qualquer momento ele fosse ataca-la. – Você não quer fazer isso. – comentou ele se aproximando. “Quem ele pensava que era?” – pensou a chinesa irritada, o que iria fazer com ela? A garota não ficaria parada se ele tentasse algo. – Qual é seu nome, pequena? – perguntou o homem sorrindo tranquilamente, porém ela não respondeu-lhe olhando-o como se fosse um animal acuado, pronto para investir a qualquer momento. – Bem, veja... – ele começou a remexer na bolsa puxando um saco do que parecia ser doces e ergueu para ela. – Coma. Deve estar com fome, por causa disso que queria minha carteira, não é?

                A menina não respondeu puxando o saco que ele lhe mostrara rapidamente. O cheiro de doces frescos atiçou ainda mais sua fome, fazendo-a salivar. Pouco se importando com o homem ela sentou-se e começou a comer avidamente. Aquilo era a primeira refeição dela em dias. – Meu nome é Sao Fen. E o seu menina? Ou devo presumir que não tenha um? Uma garota com os olhos tão bonitos não deve ficar sem um nome. – a chinesa ergueu o olhar confuso. Bonita? Ela tinha olhos bonitos? – Wu. Me chamam de Wu. – respondeu o observando desconfiada. Fen sentou-se no chão um pouco afastado da garota que acabara de se apresentar. Parecia observa-la atentamente. – Sabe... Foi um belo golpe que me deu. E sabe segurar muito bem uma faca. Já a usou para se defender? – perguntou depois de alguns minutos de silêncio enquanto Wu comia mais alguns doces. – Se quer saber se já matei seja direito. – falou a menina erguendo o olhar – Sim, Xiānshēng. Já matei uma pessoa com essa faca para me defender e o matarei se me seguir. – disse erguendo-se segurando tanto a faca quanto a sacola firmemente nas mãos enquanto se afastava – Espere... Que tal vir comigo? Posso ajuda-la.

                Wu parou de andar ao ouvir aquelas palavras, quantas vezes já ouvira aquelas aquilo? Tantas vezes e sempre dava errado não importando o quanto se esforçava. – Xiānshēng, vá pra casa. Meu lugar e nas ruas como a aberração que sou. – comentou sentindo as lágrimas se formando em seus olhos, mas ela se negaria a chorar na frente daquele homem. – Vou encontra-la todos os dias aqui até convencê-la. Posso ajuda-la e vou, mesmo que não queira. – uma doce frase para uma criança sem esperança alguma. Porém a garota partiu, sem saber se deveria acreditar naquelas palavras ou se simplesmente sumia como fizera tantas vezes.


(...)




Seis meses depois.


                Meses se passaram desde aquele primeiro encontro, Fen acabara por descobrir sua maldição. Porém ele lhe explicara que não era uma, mas sim um dom que ele também possuía. De inicio a jovem Wu não acreditara, mas o homem fora capaz de provar suas palavras. E com isso repetiu a proposta que fizera no primeiro encontro. A chinesa aceitou e com isso ganhou um novo nome: Miriam Wu.

                Com uma casa, a morena sentiu-se um pouco mais tranquila, mas não o suficiente. Ela ainda era uma selvagem, pelo menos comparada aos filhos de Fen. Desconfiada, sempre estava pronta para se defender, irritava-se a toa. Porém daquela vez não podia fugir quando percebera que as coisas estavam começando a sair dos eixos. Não estava mais em Xangai, não conhecia nada daquele novo mundo a qual havia sido posta.

                Certo dia lhe foi entregue um kimono, ela sabia que Fen administrava aulas de artes marciais na casa, ele lhe explicara que ali era o antigo dojo de seu pai e que mesmo com a morte deste ele continuou com as aulas, seus dois filhos também praticavam e o ajudavam com as aulas sempre que podiam. Suspirando a menina vestiu a roupa que lhe fora entregue e desceu juntamente com o filho de Fen. O garoto sempre tentava conversar com ela, mas nunca conseguiu nenhuma resposta dela, porém ele não desistia, sempre puxando assunto, perguntando coisas que Wu não queria responder.

                Entretanto ele não falara nada enquanto desciam para o dojo. Algo estranho na percepção da menina, porém não reclamou, não iria admitir que gostava de ouvi-lo falar. Num silêncio perturbador ambos chegaram ao local indicado. Fen estava parado no centro, alguns garotos corriam em volta do tatame – o que Miriam aprendeu o nome quando chegara a casa – liderados pela filha do homem que a salvara das ruas.
– Já está bom, por favor, formem uma fila indiana. – ele falava em chinês o que a surpreendeu, sendo traduzido pelo garoto, que ela lembrara-se chamar Eiji. Desde que chegaram a aquele país, Fen apenas falava em inglês – que era a língua natal daquele lugar – e a obrigava a ter aulas, assim como russo. – Miriam, no centro. – a morena piscou algumas vezes surpresa indo até onde o homem apontara, a menina ouvira alguns risinhos que foram silenciados apenas com um olhar da morena. – Sabe por que a chamei aqui? – perguntou Sao a olhando severamente, Miriam já tinha visto aquele olhar antes, quando ela batera num dos alunos dele. – Não. – disse sem pestanejar, seu inglês era horrível, cheio de sotaque o que fizeram os garotos rir de novo.Está aqui. Por que irei ensina-la a se controlar. Assim como ensino a esses meninos. Quero que você aprenda a controlar sua raiva e seu instinto, e ensina-la a maneira certa de se defender. Aprender a controlar sua mente e seu corpo, coisa que você não sabe. Você quer aprender?

                Naquele mês, Miriam nem pestanejou na resposta que dera. Não tivera que pensar. Pois pela primeira vez teria a chance de fazer algo certo. Fen continuava lhe dando chances e mais chances de seguir em frente. Seu sim era essencial para uma nova vida. E no mesmo dia ela iniciou seu treinamento com todo seu ardor “selvagem” de uma garota de rua onde pudesse se apoiar para começar a caminhar para um novo caminho. – Miriam... Sua postura está completamente errada. – gritou Fen, fazendo-a suspirar pesadamente – Repita toda a sequência de golpes. - Miriam suspirou pesadamente tentando controlar-se. Respirando profundamente como lhe haviam ensinado. Seu corpo e sua mente eram apenas um e respirar da forma correta, posicionando-se. O corpo pequeno e esguio, mas que contava grandes histórias de sobrevivência.



Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 20 Out 2013, 15:30
por Miriam Wu
{ Post 001 – Tentativa 01 }
{ Aprendizagem de Habilidade }
{Luta}




                A morena respirou profundamente, depois, de forma lenta, soltou o ar que havia em seus pulmões. Seus olhos se fecharam quase que por instinto, quando iniciara suas aulas, Fen havia lhe ensinado o quanto era importante saber controlar seu próprio corpo. Controlar sua respiração é um destes modos. Miriam era impaciente por natureza, uma fera selvagem sem controle algum, por assim dizer. Talvez por causa de onde foi criada e também da forma era importante. Sobreviver era seu único dever, naquela época. Agora? Tinha que ampliar seus pequenos horizontes que felizmente, ou talvez para alguns infelizmente, não existiam pensamentos infantis. A morena não teve infância, em certos momentos sentia falta disso quando observava com seus olhos esverdeados outras crianças de sua idade correndo em brincadeiras que nos pensamentos da menina eram inúteis, mesmo assim sentia em seu intimo algo faltando e que jamais poderia ser reposto, isso ela sabia bem. Não importava o quanto sonhasse nada iria repor a falta, mesmo que ela desejasse.

                Wu balançou a cabeça ao perceber onde sua mente a estava levando. Não poderia se desconcentrar, tinha passado toda a semana treinando aqueles movimentos, mesmo quando todos já haviam partido para suas casas, ela manteve-se treinando. Cada um dos movimentos, esperando que estivesse melhorando e que como Eiji ela pudesse começar a participar das pequenas lutas. Suspirando mais uma vez a menina, afastou os pés devagar em movimentos calmos suas mãos moveram-se com delicadeza em leves ataques e defesas que a menina já havia feito várias e várias vezes. Suas pernas não ficaram fora dos movimentos rápidos e delicados, dando chutes invertidos ou rasteiras. Os movimentos leves faziam aquilo parecer uma dança, e sim o era, mas um dança mortal se aplicada corretamente.

                Porém o objetivo de Miriam era aprender a se controlar e não viver como um animal guiado apenas pelo instinto como fizera nas primeiras semanas, ela estava aprendendo os golpes com facilidade, mas a calma e a paciência que Eiji possuía para saber como atacar corretamente lhe faltava. Por isso ela repetia aqueles movimentos todos os dias, gravando-os em sua mente e levando seu corpo a exaustão em todos os treinos. Mais um chute e outra defesa com as mãos e com os joelhos, um golpe no estomago do seu adversário invisível utilizando a leveza dos movimentos e a força dos golpes, Miriam já nem ao menos mantinha seus olhos abertos lutando com aquele que era seu intimo. Esperando que seus golpes estivessem bons e corretos.



Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 02 Nov 2013, 14:02
por Miriam Wu
{ Post 002 – Tentativa 01 }
{ Aprendizagem de Habilidade }
{Luta}




                Miriam estava indo bem, pelo menos até o momento. A jovem um pouco confiante fora tentar um golpe que ainda não estava tão acostumada, mas em sua percepção estava bom, porém não fora o caso, Mikazuki Geri estava muito acima da capacidade da pequena, mesmo assim ela tentara, fazendo de inicio o movimento correto erguendo uma das pernas para fazer um chute circular. Mas ao fazer o movimento acabou perdendo o equilíbrio, caindo de cabeça no chão.

                A menina sentia a dor, mas as risadas que começara a ouvir fizeram com que se esquecesse da dor e seu sangue começasse a ferver. Aquilo a irritava, mas acima de tudo a fazia querer fugir, a fazia desejar a sua vida antiga – mesmo que essa fosse pior que risadas de crianças – onde ela podia fazer o que em entendesse sem ter que provar nada a ninguém nem mesmo a crianças que eram de sua idade, mas que eram tão cruéis quanto os adulto que a jovenzinha conheceu. A morena engoliu em seco sentindo as lágrimas preencherem seus olhos esverdeados, mas ela negava-se a derrama-las.


                - Olha a pirralha querendo chorar! – gritou um dos garotos na primeira fila, caçoando da oriental, usando-a como motivo para seus amigos rirem. Miriam o detestava desde o primeiro dia que pusera os pés naquele dojo. Aqueles cabelos loiros que pareciam palhas e aqueles olhos negros a irritavam ainda mais com aquele sorriso na face. – NÃO CONSEGUE ACERTAR NEM UMA MOSCA! – gritou fazendo as outras crianças rirem. A chinesa sentia-se triste e já iria fugir quando sentiu a mão de alguém em suas costas fazendo a jovenzinha erguer o olhar para Eiji, que lhe sorria delicadamente, mas logo os olhos castanhos foram direcionados para o loiro que debochava da menor. – Então, já que ela é tão fraca e você tãooo forte, porque não luta com ela, Calvin? – perguntou o nipônico com certa hostilidade nas palavras.

                O loiro olhou para o rapaz mais velho assustado e por milésimos de segundos, Miriam sentia-se melhor. Porque afinal, ela adorava ver o loiro azedo se ferrar, mas lutar com um garoto que estava a três anos treinando era assustador.
– Acho uma boa ideia, Eiji. – comentou o sensei fazendo todos olharem para ele, principalmente Miriam, surpresos. – Calvin e Miriam no centro, por favor. – disse o homem indicando o centro do tatame, o loiro riu com seus colegas e logo indo para o centro, a chinesa sentiu um leve tapinha nas costas olhando para o moreno ao seu lado. – Acabe com ele tampinha. – disse o rapaz se afastando, enquanto ela suspirava e se aproximava do centro, ouvindo dos amigos do loiro que ela iria perder feio para ele, porém a jovenzinha não se importava, queria apagar aquele sorriso idiota da cara dele. – Cumprimentem-se... – falou a voz séria do mestre, ambos se cumprimentarem como aprenderam no kung fu. - Kāishǐ zhàndòu!

                Miriam logo ficou na defensiva quando loiro a atacou com um chute frontal, segurando o pé dele com uma das mãos e o afastando, aparando em seguida um outro chute e logo um soco do qual ela desviou por pouco. Isso fez com que ela quase se desequilibrasse, porém não iria dar esse gosto para o garoto, ela caiu numa ponte desviando de um chute no peito e logo emendando em uma estrelinha que acertou o queixo de Calvin, mas ela não parou por ali e ele também não. Ambos se cercando como lobos famintos trocando golpes. Quem venceria?



Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 18 Nov 2013, 23:40
por Miriam Wu
{ Post 003 – Tentativa 02 }
{ Aprendizagem de Habilidade }
{Luta}




                Os olhos verdes encaravam os azuis frios do rapaz com quem lutava, ele mostrando uma facilidade nas técnicas um pouco mais avançadas do que a menina conhecia, porém saber a técnica não era o suficiente, Miriam conseguia aparar os golpes com leveza e acertando golpes fortes com movimentos delicados para uma criança. Foi acertada algumas vezes, mas podia dizer que seus golpes também eram certeiros.

                Estava uma luta equilibrada, às vezes a oriental caia outras vezes o rapaz a sua frente. Algo que de algum modo deixou a chinesa feliz, afinal estava provando que conseguia lutar sem se levar pela raiva cega. Porém a felicidade e autoconfiança que lhe surgira quase a fez perder uma das tentativas do rapaz de derruba-la de vez. Porém num movimento rápido esquiva a morena se afastou do soco que lhe fora direcionado agarrando em seguida o punho do rapaz e lhe dando dois chutes no peito que lhe tirou o ar.

                Por alguns segundos a menina ficou sem entender o que havia feito, mas logo seus olhos se direcionaram ao mestre que sorria delicadamente, parecia de certo modo orgulhoso.
– Muito bem, pequeno gafanhoto. Conseguiu vencer em uma luta justa, que tal mais uma luta com o Calvin, obviamente se assim ele quiser. – comentou delicadamente com um riso, fazendo Miriam perceber que o mestre havia dado uma lição tanto para ela quanto para o garoto que a superestimara.

                De algum modo Wu sentia-se, não apenas confiante, mas sentia-se no controle do próprio corpo pela primeira vez, talvez fosse um engano, porém era isso que ela sentia no momento. Não que fosse o suficiente, ela não queria apenas se controlar, ela queria saber lutar da maneira correta, sem golpes baixos. Algum dia, talvez, ela pudesse participar dos campeonatos como Eiji. Ganhar um troféu, não que isso fosse muito importante, seria apenas a prova que ela estava se superando, esquecendo seu passado e seguindo em frente. Definitivamente.


                - Tudo bem, vamos recomeçar, parece que Calvin já recuperou o fôlego. – comentou o mestre dando uma piscadela para Miriam que se surpreendeu com tal atitude, mas logo ela se esqueceu disso olhando para o loiro que estava a sua frente. Seu corpo se preparando para qualquer ataque que lhe viesse. - Kāishǐ zhàndòu! – ouviu as palavras serem pronunciada assim como vira o golpe que vinha em sua direção, fazendo que ela desse um rolamento para trás, parando agachada, a alguns centímetros de onde estava, para logo erguer-se num contra golpe com um rápido movimentos dos pés e das mãos. Novamente eram dois lobos se cercando prontos para estraçalhar aquele que fosse mais fraco.



Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 19 Nov 2013, 00:43
por Miriam Wu
{ Post 004 – Tentativa 03 }
{ Aprendizagem de Habilidade }
{Luta}




                Com um movimento firme e leve Miriam lutou com tudo que sabia, mesmo que o rapaz a sua frente se se empenha e fosse bem mais corpulento que a menina que a um ano atrás vivia nas ruas e passava fome a maior parte dos dias. Porém a morena aprendera, numa das tarde que passara do horário dos treinos com Eiji que ela tinha que usar seu corpo da forma que lhe fora dada, se ela era mais baixa e tinha uma massa muscular menor, era mais leve e mais rápida, então usaria isso ao seu favor em uma luta.

                Era isso que estava fazendo, usando seu corpo leve como uma vantagem contra o garoto que era maior que ela e que era lento, pelo menos na percepção que a jovem tinha de lento desde que começou a treinar há alguns poucos meses. Porém a menina não poderia ficar extremamente confiante, afinal Calvin treinava a mais de dois anos no dojo enquanto ela nem um ano completara, o que significava que ele tinha mais conhecimentos de golpes que ela.

                Entretanto Miriam tinha algo que nenhum deles possuía. Um instinto a flor da pele que lhe dava um pouco mais de vantagem sobre alguns momentos da luta que se dava entre os dois jovens. Mais uma vez, num golpe rápido a jovem chinesa conseguiu vencer o rapaz que já se erguia para uma nova luta, sem esperar qualquer comando do mestre. Wu olhou para o homem que franziu as sobrancelhas, mas na vez observando até onde o loiro iria.

                Os olhos esverdeados se viraram novamente para o rapaz rapidamente seu braço se erguendo aparando a perna do garoto e a empurrando para longe enquanto se movimentava com destreza para longe preparando uma sequencia de chutes e socos rápidos que foram, alguns, defendidos e outros que acertaram Calvin, mas não com força o suficiente para derruba-lo. Uma dança “mortal” entre a oriental e o rapaz loiro se iniciava de forma voraz, uma troca de golpes incessante, uma briga entre técnica e instinto que só terminaria quando estivesse caído no chão sem conseguir se levantar para um novo embate.



Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 19 Nov 2013, 14:21
por Miriam Wu
{ Post 005 – Tentativa 04 }
{ Aprendizagem de Habilidade }
{Luta}




                Estava sendo uma luta acirrada, nenhum dos dois ficava mais do que alguns segundos caídos quando era atingida por um golpe, Miriam sentia seu corpo dolorido, mesmo assim não desistiu, mantendo-se firme a cada movimento que fazia numa concentração extrema. Para ela não havia nenhuma outra pessoa além de Calvin. Nada além dos dois querendo vencer e se provar em algo que nunca havia melhores, apenas lutadores, jovens aprendizes.

                As crianças tinham o olhar um sobre outro, praticamente não piscavam para não perderem qualquer movimento do adversário. Uma dança silenciosa e mortal entre duas crianças, mas pelo menos uma sabia as consequências de certos movimentos aplicando a força certa, a chinesa vivera nas ruas, correndo e brigando pela sua sobrevivência. Na época não conhecia técnicas ou nomes, apenas a força e a velocidade de seus movimentos infantis que causavam certa inveja em adultos. Sobrevivera por todos esses anos graças ao seu instinto e naquele momento percebia que era isso que podia desequilibrar a luta. Podia ser rápida, leve, mas o que modificava a balança era seu conhecimento da realidade nua e crua das lutas. Enquanto Calvin teve uma infância comum, uma vida sem problemas extremos que o faziam decidir entre morrer e viver, Miriam vivera numa pequena linha que podia se arrebentar a qualquer golpe errado.

                Os movimentos dos braços e das pernas eram rápidos e sem sossego entre as duas crianças, aprendizados que tiveram, o cansaço exalava pelos poros como suor, mas nenhum dos dois parou a luta, socos, chutes, rasteiras e alguns saltos. Ofensivo e defensivo. Cada um mostrando o conhecimento que possuía com força e destreza que seus corpos detinham. Um tentando pressionar o outro, a dificuldade aumentando sem que os lutadores percebessem, enquanto aos olhos do mestre e dos outros pupilos a luta se transformava numa dança belamente exótica. O silencio reinava com a exceção do som dos golpes sendo desferidos pelos combatentes de forma agressiva. Numa pequena distração por parte da oriental Calvin se jogou num soco que foi mal defendido pela morena que cai, mas que emendou em um rolamento rápido para se erguer e atacar com um golpe que observara Eiji fazer, algo que, de acordo com o mestre, ainda não estava preparada para fazer, mas que naquele momento Miriam apenas queria tentar realizar e vencer mais uma vez o rapaz loiro a sua frente. Mostrando todo seu instinto e força naquele pequeno golpe que praticara sozinha sem conhecimento de ninguém. Desejava conseguir mais uma pequena vitória e mostrar que estava aprendendo.



Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 20 Nov 2013, 18:26
por Miriam Wu
{ Post 006 – Tentativa 04 }
{ Aprendizagem de Habilidade }
{Luta}




                Miriam iria conseguir se o rapaz não tivesse previsto o que ela planejava e usando um técnica que lhe era desconhecida pela morena, conseguindo derruba-la em segundos. A dor pela queda passava pelo corpo esguio da menina que se sentia tonta por ter batido a cabeça na queda. Um sorriso vitorioso era tudo que via e isso a fez se erguer novamente sem olhar para ninguém além do mestre que estava preparado para dispensar a turma e trancar Miriam em seu quarto caso ela explodisse em raiva como nos últimos meses. Algo que não aconteceu.

                - Mestre desejo continuar. – disse delicadamente seus olhos brilhando, mas sem demonstrar qualquer sentimento assim como sua expressão. Não havia nada, nenhuma raiva estampada nos orbes esmeraldas ou suas feições de boneca. – Por favor, eu preciso continuar. – repetiu o pedido esperando uma resposta, a menina estava sendo analisada e ela sabia disso enquanto via o mestre percorrer sua face a procurar de qualquer perca de controle aparente, mas nada disso existia o que o fez suspirar e sorrir como se tivesse ganhado um prêmio. Miriam não entendeu, mas isso não a fez retirar aquela inexpressividade que estampava seu rosto. – Tudo bem podem continuar. – comentou delicadamente recebendo um olhar do filho o qual ignorou imediatamente, seus olhos escuros encarando os dois duelistas que se preparavam para um novo embate. – Preparado...? Kāishǐ zhàndòu! – gritou vendo as duas crianças se cumprimentarem e começarem a se rodearem procurando uma abertura.

                O primeiro movimento foi do loiro, rápido e preciso, mas que fora bloqueado com o antebraço da morena que encaixou dando um soco em seu estômago para afasta-lo de si, e emendando e uma rasteira que não surtiu efeito mais que lhe ajudou a escapar do golpe seguinte do mais velho. Ambos eram rápido, mostrando tudo o que conheciam, focados neles mesmo e em seu adversário com uma concentração digna de lutadores. Uma dança quase que programada se não fosse os gemidos de dor que às vezes escapavam entre os lábios das crianças quando eram acertados por algum golpe do outro.

                Estava sendo uma luta acirrada, nenhum dos dois ficava mais do que alguns segundos caídos quando era atingida por um golpe, Miriam sentia seu corpo dolorido, mesmo assim não desistiu, mantendo-se firme a cada movimento que fazia numa concentração extrema. Para ela não havia nenhuma outra pessoa além de Calvin. Nada além dos dois querendo vencer e se provar em algo que nunca havia melhores, apenas lutadores, jovens aprendizes.



Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 20 Nov 2013, 18:29
por Zoey Bloom
Aprendizado de Característica

Personagem: Miriam Wu
Característica: Luta
Status: Finalizado!

Re: Aprendizado - Luta - Miriam Wu

MensagemEnviado: 20 Nov 2013, 18:57
por Miriam Wu
{ Post 007 – Finalização}
{Aprendizagem de Habilidade }
{Luta}




                Os movimentos ficavam cada vez mais rápidos, a raiva começava a se sobressair na face do loiro que sempre se manteve orgulhoso e autoconfiante, mas Miriam estava calma, concentrada, usando tudo que sabia e aquilo que observou na luta toda. O suor percorria o corpo dos combatentes, a respiração pesada e os olhos dos outros aprendizes e do mestre presos naquela luta que se equilibrava, mas logo começava pende a favor da jovem chinesa que mantinha-se neutra em sua expressões, apenas concentrada nos movimentos de seu oponente e no que faria para usar contra ele. Algo que ela estava fazendo de forma rápida e segura.

                Os olhos esverdeados brilharam ao ver o cansaço e o medo estampados no rosto do garoto a sua frente, mas aquilo não era de alegria, era um brilho de conquista. Outros movimentos se seguiram diante daquilo um chute no queixo e Calvin estava no chão exausto.
– ISSO! Muito bem Miriam! – sorriso de Take foi tudo que fez a menina se desequilibrar e perceber o que havia conseguido, não a vitória em si, mas o controle, pelo menos uma parte do controle que desejava sempre que encarava uma aula e as piadinhas dos outros alunos. Um controle que a faria ser normal como outras crianças, ou tão próxima disso quanto desejava. – Foi uma boa luta. Adorei ver a determinação de vocês. – comentou o mestre sorrindo delicadamente – A partir de hoje Miriam irá fazer dupla com Calvin ou Takeru. Assim vai aprimorar mais suas técnicas e seus desempenhos na luta.

                Surpresa apareceu na face da menina tanto com aquelas palavras, quanto com o loiro vindo até ela e se desculpando, dizendo que estava errado. E que agora seriam amigos. Aquilo fez o coração da menina se encher de alegria, sempre quisera amigos e estava tendo. Estava conseguindo seguir em frente de um modo que jamais imaginou. Despedia-se daqueles que antes a magoava com frases horríveis que a deixavam com raiva extrema. Aqueles agora poderiam ser seus amigos ou mais perto do que isso. Mas o que lhe era mais importante é que estava conseguindo o controle.
                Mas será que era o suficiente...?