Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Diário do Josh - Últimos dias antes da escola. Joshua P. A. Nolan 3094 17/01/2019 às 11:12:01
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 2572 22/11/2018 às 18:19:24
É LUFA - LUFA!! Oh Ha Na 3659 08/09/2018 às 18:24:13
Indo para Hogwarts! Oh Ha Na 2760 08/09/2018 às 18:20:17
A súcubo do Apocalipse Lilith Ambrew 2689 08/09/2018 às 09:11:11

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Centro Obstétrico

Moderador: Theophrastus von Hohenheim

Centro Obstétrico

MensagemLiechtenstein [#179248] por Mestre do TvH » 07 Set 2017, 10:56

  • 8 Pts.
  • 15 Pts.
  • 60 Pts.
Imagem



É nesse ambiente que chegam ao mundo os novos bruxinhos. Preparada para atender aos diversos tipos de parto, de acordo com os desejos da futura mãe. Porém também equipada para cesáreas de emergência. Se a parturiente desejar um parto mais humanizado, seja ele de cócoras, em uma banheira ou se preferir da forma tradicional, todos os equipamentos estão disponíveis para atender às suas necessidades.
Mestre do TvH
Funcionário do Hospital TvH
Avatar do usuário
 
Reg.: 27 de Oct de 2010
Últ.: 13 de Aug de 2019
  • Mensagens: 383
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Feminino

Rolagem dos Dados:
  • 8 Pts.
  • 15 Pts.
  • 60 Pts.

Postado Por: Nannnnnnn.


Re: Centro Obstétrico

MensagemHolanda [#188938] por Anastasia de Bourbon-Parma » 25 Jan 2019, 14:01

  • 13 Pts.
  • 18 Pts.
  • 58 Pts.
Nome do Personagem: Sörem Smooth

Situação: Exames de Rotina - Gravidez.


Acompanhante: Lars Vanderhoff
Responsáveis pelo atendimento: Lidell Revolverheld.
Ordem de Postagem: Paciente > Medibruxo > Paciente > Medibruxo.

Tempo para postagem: dez dias após o último post.
Imagem
Imagem
Anastasia de Bourbon-Parma
Funcionário do Hospital TvH
Avatar do usuário
Zoey Deutch
 
Reg.: 31 de May de 2016
Últ.: 01 de Nov de 2019
  • Mensagens: 146
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Feminino

Rolagem dos Dados:
  • 13 Pts.
  • 18 Pts.
  • 58 Pts.

Postado Por: Dih.


Re: Centro Obstétrico

MensagemRussia [#189075] por Sörem Smooth » 31 Jan 2019, 16:55

  • 9 Pts.
  • 13 Pts.
  • 160 Pts.
[O desespero, part.1]



Enquanto estava sentada no chão com o corpo curvado sobre o vaso sanitário, vomitando suas refeições dos três últimos dias, Sörem continuou amaldiçoando os infelizes que criaram os métodos contraceptivos que não eram com cem por cento de eficácia. Junto com eles, sua própria lerdeza em não se lembrar de tomar seus comprimidos por dois dias seguidos, e então desregular toda sua ovulação. Nesse meio tempo, o gosto ruim da sua boca se intensificou e ela continuou com a - não muito agradável, ânsia de vômito e colocando até alguns órgãos para fora no processo, ou ela poderia jurar que os tinha feito. Durante cinco minutos, em que seu corpo pareceu lhe dar uma pausa, os olhos tinham lágrimas escorrendo pela situação e sua cabeça estava zunindo, lembrou-se de uma conversa de muitos anos antes que havia tido com sua mãe. Não que fosse a melhor em exemplos, mas era justamente sobre filhos e sobre gravidez. Para a loira, a conversa nunca foi importante, até aquele momento em que se pegava passando mal o suficiente por quatro ressacas imediatas.

Spoiler: Mostrar
FLASHBACK
[Sete anos antes]


A muito impecável Sra.Smooth, estava em puro êxtase e em contra partida, Sol estava bocejando. Isso era uma cena muito comum entre as duas, não como falta de respeito, mas apenas por terem opiniões diferentes sobre o que as empolgava. Enquanto a adorável, e muito conservada, Erika sorria e ficava confabulando sobre roupinhas de bebê para a filha de sua vizinha, a loira estava se programando para sua próxima viagem, seria para a África, como correspondente e ajuda médica. Suas malas estavam prontas e a viagem seria no dia seguinte. - Isso é, simplesmente, maravilhoso! Lorena vai ter um bebê! Minha afilhada, tão amada... estou tão empolgada. E ouvi dizer que Conrad a pediu em casamento também, serão uma linda família. - Mais uma vez, a loira sorriu para agradar sua mãe, mas manteve seu pensamento focado em anotações e possíveis coisas que poderia esquecer antes de viajar. Sua mãe pareceu notar a distância emocional, e a beliscou para traze-la de volta a conversa. - Estou falando com você, Sörem! - Com um susto, a loira sorriu, depois de fazer um bico dramático e passar a mão no braço onde ela havia beliscado. - Eu ouvi, mamãe. Só não entendo o porque da euforia, é um bebê. Nascem bebês todos os dias no mundo. Não é lá grande m*rda. - Levou outro beliscão pelo palavrão, e a mãe suspirou.

- São uma benção, filha. Você vai sentir isso na pele quando for mãe... e vai amar cada segundo. - Só então uma risada alta e bem divertida escapou da garganta dela, enquanto seu olhar estava com pura descrença para sua mãe. - Enjoos e fraudas? Acordada a noite inteira com chorinhos agudos e perder o bom tempo que eu tenho no jornal ou viajando? Não obrigada. Um filho não faz parte dos meus planos... talvez em dez ou quinze anos quando eu estiver com tudo realizado. - Não era uma mentira completa. A loira sentia vontade de formar família, mas não se imaginava com um futuro imediato a isso, e nem o queria. Até porque, ainda lhe faltava o principal. O doador do esperma campeão. Ela viu quando a mãe fez um gesto negativo em descrença pelas palavras, e suspirou. - Fique a senhorita sabendo que eu quero netos antes de ficar velha demais para correr atrás deles. E se você não arrumar um namorado, porque trabalha demais, tem clínicas especializadas nisso. - Levantando-se da mesa, a mulher seguiu para a porta e Sol sabia que ela iria até a vizinha. Ela sorriu para si mesma ao confirmar que aquilo não aconteceria tão cedo, não importava a chantagem que sua mãe iria fazer.


FIM DO FLASHBACK


Ela ouviu a batida na porta e seu peito acelerou novamente. Era a hora. Maldita fosse aquela hora. Iria para uma consulta, finalmente, saber o sexo do seu bebê, ou tentar, já que talvez ainda não desse para ver. Os pré-natais eram um sofrimento, junte isso ao constante mal humor da russa, com sua abstinência em álcool e uma constante vontade de vomitar, e o coitado do Lars estava sofrendo um dobrado. Ela sabia que sua instabilidade emocional estava f*dida devido aos hormônios loucos que estavam pulando dentro de si, mas para ela, não justificava o que estava sentindo. Em quase quatro meses, não conseguia ficar feliz com isso, a notícia parecia surreal demais para acreditar e por mais que seu coração estivesse ansioso e com uma ligação profunda ao bebê, sua mente não parecia assimilar a notícia. A loira estava em estado atônito quase o tempo todo, e na outra parte, estava surtada. Em palavras literais, estava bem complicado de se lidar com Sol. Ela própria sabia disso, e queria conseguir se controlar, mas era algo que não estava em seu domínio. Merda.

Ela tossiu, enquanto levanta do chão e então apertou a descarga antes de virar na direção da pia de mármore e começar a lavar o rosto. - Já estou indo, só um minuto. - Respondeu com a voz cortada, embargada e com alguns ''fungados''. - Estou bem sim, já acabando. - Depois de prender os cabelos em um apertado rabo de cavalo, ela colocou se encarou no espelho e concluiu que nunca havia estado tão aparentemente cansada, como estava ali. Seus olhos pareciam começar a se formarem olheiras, assim como tinha a expressão sonolenta. Não podia evitar acordar a cada quinze minutos para ir ao banheiro. Era a pior parte da gravidez. Sua bexiga frouxa demais, e seus vômitos quase todos os dias. Respirando mais fundo novamente, olhou sua roupa e uma careta se formou. Nunca poderia se imaginar saindo de casa com vestes mais folgadas, ainda mais quando tinha Lars ao seu lado, mas desde que seus pés pareciam sempre inchados, era mais fácil e bem mais confortável usar roupas largas e chinelos. E ela ainda tinha a audácia de trabalhar numa revista conceituada e escrever sobre moda. Um sorriso de diversão escapou de seus lábios antes de abrir a porta e encontrar o homem mais lindo do mundo a esperando. Sortuda do car*lho!

Estavam indo ao hospital juntos. Lars havia aceitado bem a notícia, para a tranquilidade da loira, porque ela estava em pânico. - Seu filho estava me fazendo passar mais tempo no banheiro do que em qualquer outra parte da casa, acho melhor você dar um jeito de reformar e colocar uma cama la dentro pra mim. - Enquanto falava, o cutucava com o indicador, bem no peito. Não tinha expressão séria ou raiva, mas no fundo, estava considerando a possibilidade realmente. - E não faz essa cara ou sorria pra mim! Eu sei que estou um bagulho. - Uma nova careta e a loira saiu na direção da porta. Estavam ficando no antigo apartamento dele, já que era mais perto do hospital e ela se pegou choramingando assim que chegou a rua, com a bolsa em sua mão. - Eu vou desmaiar se aparatarmos... podemos ir por uma lareira ou algo assim? - Ela não estava pensando direito e, na verdade, não sabia se conseguiria caso tentasse. Suas emoções pareciam amplificadas em nível máximo e por mais que tentasse se conter, era mais difícil do que parecia. Para sua sorte, Lars era realmente compreensivo.

XXX


Não demorou como ela pensou que aconteceria e ficou feliz por isso. A consulta deveria ser rápida, já que tinham hora marcada e ela conhecia Lidell. O lado bom de amar seu trabalho como jornalista, era conhecer tudo e todos. Sörem tinha tantos contatos e amizades vantajosas pelo mundo a fora, que foi sem nenhuma surpresa que conseguiu um encaixe para uma consulta de rotina. Sua mãe, mesmo longe, estava mais do que feliz em enviar presentes e ordenar que ela fosse para a Rússia passar os meses posteriores ao nascimento para receber ajuda. Ela não se oporia a ideia, mas precisaria discutir com Lars sobre isso, afinal ele poderia passar quatro meses na Rússia por ela. Ele trabalhava. Com uma nova careta, recostou-se a ele enquanto esperava ser chamada. Era uma boa coisa que estava cedo, e que depois dali iria comer - mesmo sabendo que não duraria em seu estômago. Aproveitaria para conversar com Lidell sobre o que poderia colocar em sua dieta para que não sentisse tanto enjoo. - Continuo enjoada, mas vou viver. - Respondeu ao chamado de Lars, pouco antes de receber um beijo na testa e novamente choramingar dengosa pelo gesto de carinho. Estava preparada para fechar os olhos, quando foi chamada pela voz conhecida.

Ergueu-se rápido, enquanto se aproximava da mulher. - Graças a deusa da gravidez você chegou! - Exagero também era uma das emoções amplificadas. - Estou sentindo meu estômago revirar mais do que o normal, mas não sei se é nervosismo ou só ânsia de vômito. Vamos precisar conversar. - Soltou de uma vez, enquanto a seguia para a sala especializada, com Lars ao seu lado e a segurando. Isso confortou a loira, já que se dependesse dela, estaria caindo em qualquer banheiro. Ela acreditava que a falta de forças era pelo mal funcionamento de seu cérebro confuso, mas na verdade, estava com medo de que fosse pelos vômitos e se isso poderia implicar em algo ruim para o bebê, já que não tinha vitaminas suficientes para nutrição do feto. Estava confusa, desesperada, assustada e ansiosa. Não era uma boa combinação para alguém que vivia sempre a 110% e subindo. Uma olhada no amor de sua vida, bem ao lado, e a loira concluiu que todas as emoções poderiam esperar. Se ele poderia ser forte por ela, então ela também seria forte por seu bebê. Por mais que isso significasse constantes ataques de pânico e uma sobrevivência limitada ao pavor, mas tentaria. De alguma forma, ela tentaria.


Notes: Nunca vi a Sol tão confusa, tadinha! aushaushauhsaush
With: Lidell R; LarsV; ErickaS (NPC);
Ela usa algo assim, mas sem chapéu.
Sörem Smooth
Mundo Mágico
Avatar do usuário
Amber Heard
 
Reg.: 19 de Mar de 2014
Últ.: 17 de Nov de 2019
  • Mensagens: 54
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Feminino

Rolagem dos Dados:
  • 9 Pts.
  • 13 Pts.
  • 160 Pts.

Postado Por: Joyce Dayanne.


Re: Centro Obstétrico

MensagemHolanda [#190673] por Anastasia de Bourbon-Parma » 27 Abr 2019, 13:13

  • 10 Pts.
  • 8 Pts.
  • 46 Pts.
Imagem
Lidell Revolverheld
Medibruxa - Especializada em Psiquiatria e Obstetrícia - Alemã


Desde que Lidell optara por continuar estudando obstetrícia a fazia encontrar diversas pessoas que se repetiam. Parecia uma coisa muito estranha ela associar as famílias pelo estilo de cabelo, formas de conversarem e até mesmo pela citação de nomes um pouco mais conhecidos. Sua incapacidade de socializar a fizera detectar diversas alternativas racionais para proporcionar a cada um de seus pacientes uma experiência única em seu caminho sinuoso e desconhecido da paternidade. Era até interessante observar este ponto, já que a própria Lidell não queria ter filhos e parecia que seus irmãos estavam postergando essa ideia também. Então, que ela fizesse a parte dela para auxiliar outros, não é mesmo?

Naquele dia, dentre as diversas consultas marcadas estava a de um jovem casal que desejava saber mais como estava a saúde do feto no ventre da moça. - Senhorita Soren, tudo bem? - O sorriso, sempre bem calculado, poderia trazer um conforto a todos que estavam ali com caras confusas e ansiosas. Apontou para as cadeiras, apoiando-se a mesa para ouvir as impressões dos dois ali. A voz da mulher era mais rápida que um feitiço de estuporar, alertando Lidell sobre os acontecimentos anteriores e também não a deixava preocupada. - Ainda estamos neste período, mas podemos conversar sobre a sua dieta e descobrir se na verdade, você não esteja tendo dificuldade para digerir devido ao crescimento do feto. - A voz séria, quase mecânica, revelava um pouco da realidade diária da moça que muitas vezes passava desapercebido devido sua profissionalidade com cada família.

Com o aceno de sua varinha, pegou o prontuário da paciente e observou com cuidado os detalhes da última conversa que tiveram. - Vamos medir sua barriga e garantir que o feto está crescendo bem. Além dos enjoos e vômitos constantes, há algo além que você sente estar te incomodando? - Encarou a loira com um sorriso, enquanto a conduzia com cuidado até a maca aonde ficaria por alguns outros minutos. A paciência era algo comum para Lidell que ainda desvendava o mundo daqueles humanos cheios de emoções e que transbordavam no meio de tantas diferentes situações – em especial a gravidez. Mais uma vez a varinha fez a sua parte, trazendo uma das fitas métricas de Belle (sua irmã, capitã do Montrose e também vice-diretora de Beauxbatons) que fazia um trabalho excepcional em medir, quantificar e verificar o tamanho da barriga daquela mãe. - Além dos enjoos, percebi que seu companheiro lhe trouxe pela mão um pouco mais forte que o normal. Você tem dormido, ou a posição também tem te incomodado?

Ouvia, esperando por qualquer alteração e nada fora do normal. Ter uma barriga maior não implicava em deficiências e muito pelo contrário. Por isso, levantando algumas hipóteses, mais uma vez sorriu mantendo um contato de exatos cinco segundos de olhar com Soren - Pode se deitar na maca, vamos ver como está este feto. Se o senhor, - Virou-se ao companheiro da paciente por outros dois segundos, suficiente para que entendesse que estava falando com ele. - Quiser se aproximar, também será bem-vindo. E como ela tem estado? Comendo bem? Busca tentar algum tipo de exercício e manter a sua rotina? - Levantou com cuidado a camisa da moça até próximo ao sutiã da mesma, deixando os dedos deslizarem na barriga e observando com cuidado as linhas para ter certeza de que o formato visualmente estava adequado e saudável.

Dali em diante, começou o que os trouxas comumente chamavam de ultrassom. Ela, preferia utilizar-se de uma poção que anestesiava levemente a epiderme e assim poderia passear com cuidado a varinha que com um feitiço de revelação, mostraria a eles o interior da placenta. Usando uma luva para isso, terminou o processo e esperou alguns segundos - Vai ficar gelado por alguns segundos e depois poderei mexer a varinha na barriga sem afetá-la ou o feto. A imagem será reproduzida 90graus para você e nós a nossa frente. - O feitiço se foi falado, sendo elaborada uma simples e precisa circulação do pulso, para adentrar no interior e refletir da maneira correta. Precisou de um ajuste no giro de sua mão e posição para que logo uma imagem tridimensional surgisse. Nada ainda perfeita, mas suficiente para que ela pudesse ler os acontecimentos dentro do útero de Soren.

- Parece que temos uma surpresa aqui, Soren. - Piscou uma vez, movendo a varinha devagar, ainda tocando a pele da paciente. - Você não é mãe de somente um bebê, mas dois. Ou melhor... - Girando a mão para o outro lado, percebeu logo uma nova placenta. Algo que talvez pudesse surpreender mais do que gêmeos. - São três. Por favor, só um minuto. Vamos ver se eles revelarão se são do sexo feminino ou masculino. - Ali foi mais difícil. Silenciosamente, a varinha movia ao comando de sua dona que incansavelmente percebia que os três poderiam a estar confundindo e por isso preferia se certificar. Não estava preocupada com a reação dos pais, já que buscava a segurança das crianças acima deles naquele momento. - Este, primeiro, é do sexo masculino e o segundo também. - Com afirmação o fez, indo atrás do último que tinha já se escondido antes e que poderia tornar o momento especial dos pais mais uma nova surpresa.

- Definitivamente, sexo feminino. - Encarou Soren por mais três segundos e o pai por somente um. Apontou a eles cada uma das crianças/fetos. - Vamos ajustar a sua alimentação e treinos. Agora os enjoos e vômitos são um risco.
Imagem
Imagem
Anastasia de Bourbon-Parma
Funcionário do Hospital TvH
Avatar do usuário
Zoey Deutch
 
Reg.: 31 de May de 2016
Últ.: 01 de Nov de 2019
  • Mensagens: 146
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Feminino

Rolagem dos Dados:
  • 10 Pts.
  • 8 Pts.
  • 46 Pts.

Postado Por: Dih.


Re: Centro Obstétrico

MensagemAlemanha [#191983] por Lars Vanderhoff » 03 Jun 2019, 18:28

  • 4 Pts.
  • 19 Pts.
  • 21 Pts.
Se perguntassem se uma criança estava nos seus planos para o momento, é claro que negaria, até mesmo porque não tinham planejado ou sequer discutido aquela ideia. Contudo, desde que Sörem tinha anunciado a gravidez, estava fazendo o possível para ser um bom suporte emocional e físico, já que a loira estava tendo sérios problemas com enjoo e, consequentemente, fraquezas. Apesar da surpresa, sentia-se verdadeiramente contente com a ideia de ter um filho, ou filha, afinal, apenas saberiam o sexo do bebê após a consulta daquele dia. Isso é, desde que Sol conseguisse sair do banheiro para seguirem ao hospital. Aquele período inicial realmente não estava fácil, só esperava que fosse melhorar logo, pelo bem da própria mulher.

– Está tudo bem aí? Já está quase na hora, então se não estiver com condições, posso ver se consigo remarcar ou algo do tipo. – falou após dar algumas batidas na porta trancada. Aquela situação não deixava de ser frustrante, queria muito estar ali com Sol, mas naqueles momentos de ânsia, ela tinha uma preferência por ficar só, não deixando muito que o alemão pudesse fazer além de torcer para que melhorasse e dizer algumas palavras acolhedoras. Em resposta, a loira comentou que estava indo e os demais barulhos provenientes do banheiro realmente indicavam aquilo. – Tem certeza de que está suficiente bem? – questionou, não podendo deixar de demonstrar preocupação. Pelo menos já estavam consideravelmente perto do hospital, o que provavelmente diminuiria os enjoos de trajeto. Então, assim que ela finalmente apareceu em seu campo de vista, rapidamente abriu um sorriso, porque mesmo naquelas condições, aquela mulher ainda conseguia ser incrível.

– Uma cama no banheiro? Acho que vamos precisar de um banheiro maior então. – afirmou, dando uma risada. – Um bagulho? É claro que não, você está mais para a melhor mãe possível para o meu filho. Ou filha. – respondeu, ainda com o sorriso nos lábios enquanto envolvia a cintura da loira com o braço, guiando-a em direção à porta. – Sendo sincero, pensei em simplesmente pegarmos um táxi, porque até mesmo a lareira pode não ser tão segura assim. Muito menos uma chave de portal. – comentou enquanto discutiam o meio de locomoção. Novamente, aquela era a vantagem do antigo apartamento e considerando que Lars já tinha feito o caminho até o hospital bruxo de carro algumas vezes, sabia muito bem que era um trajeto tranquilo.



Quando enfim chegaram ao Theophrastus von Hohenheim, Lars não pode deixar de dar uma boa olhada ao seu redor, procurando as mudanças no ambiente desde a época em que era o diretor do hospital. Inclusive, era engraçado estar ali de volta depois de tanto tempo, trazia tantas memórias, de uma época que parecia muito mais distante do que realmente era. Reconhecendo alguns rostos, logo fez questão de cumprimentar cada uma dessas pessoas, afinal, simpatia e uma boa relação (embora por parte de Sörem) foram justamente o que permitiram aquele encaixe na agenda de Lidell, uma das melhores no ramo obstétrico. Após a breve parada na recepção, logo seguiram para a sala de espera do consultório e enquanto aguardavam no sofá, puxou a russa mais para perto, permitindo que ela descansasse um pouco apoiada em si.

– Se sente melhor? – questionou, depositando um beijo na testa da loira e encostando seu rosto no topo da cabeça da russa logo em seguida. Aquele maldito enjoo realmente insistia em não dar tréguas. Pelo menos estavam no hospital e logo veriam uma profissional que poderia recomendar algo para melhorar as constantes ânsias. Assim que o nome de Sol foi chamado, o moreno rapidamente se levantou, ajudando a grávida a fazer o mesmo. Nem mesmo tinham entrado no consultório e Sörem já começou a despejar algumas informações, provavelmente desesperada, o que não dava para julgar, afinal, não era um exagero tão grande quando ela dizia que boa parte do que comia não parava em sua barriga. E por mais que Lars tentasse ajudar com algumas bebidas mais nutritivas ou algo do tipo, precisavam de uma solução melhor.

Ajudando Sörem a se sentar em uma das cadeiras indicadas e tomando a outra para si, continuou segurando a mão da russa com firmeza, ao mesmo tempo em que acompanhava tudo o que era dito pela medibruxa com atenção. Assim que foi solicitado que a loira seguisse para a maca, rapidamente auxiliou para que ela se levantasse, ficando ali próximo enquanto observava Lidell fazer as medições da barriga e continuar com as perguntas de praxe. Usando o possível de sua memória, tentou fazer comparações mentais dos resultados novos com os anteriores, embora aquilo não fosse necessário, afinal, estava claro que a gravidez evoluía cada vez mais, com cada uma de suas características mais evidentes no corpo da loira. Após a etapa de medições, enfim seria o momento de ver o bebê em si, então, na hora que a medibruxa permitiu uma maior aproximação de Lars, ele rapidamente o fez.

– Não tem comido tão bem quanto deveria, culpa dos enjoos, mas pelo menos estamos tentando complementar a alimentação e continuar com comidas mais saudáveis. – afirmou a respeito da dieta de Sörem. – Sobre os exercícios, vamos dizer que isso nunca foi a praia dela, mas pelo menos o básico está se obrigando a fazer pelo bem da gravidez, assim como manter a rotina. – respondeu, tendo que conter um sorriso, afinal, Sol realmente não era a maior fã dos exercícios, mas pelo menos não costumava precisar mais do que o normal. E agora que Smooth já estava acomodada na maca, Lidell começou o procedimento medibruxo de uma ultrassonografia, que proporcionava uma imagem muito melhor, começando pelo fato de ser tridimensional. Embora aquela não fosse exatamente a sua área, tinha passado por situações como aquela anteriormente, tendo uma visão afiada para compreender bem a reprodução mágica do interior do corpo de Sörem.

Antes mesmo que Lidell comentasse sobre a tal surpresa, o homem já tinha sido capaz de notar que havia algo “errado” ali. Aquilo não era exatamente um bebê, eram membros demais para isso. Se um filho já tinha sido algo inesperado, dois então.... Pensar nisso já havia provocado uma leve queda de pressão no homem, que teve que segurar no apoio da maca para manter o olhar concentrado na imagem da barriga de Sörem. E se dois já tinha sido chocante, o anúncio do terceiro apenas fez com que tivesse que apertar a barra metálica com mais força. Trigêmeos? Seu cérebro parecia ter dado pane. Sem nenhuma experiência prévia realmente válida (não contando os sobrinhos, primos e etc), como iria dar conta de cuidar de três filhos? Em sua mente, um grito praticamente ecoava, mas sabia que não poderia externalizar (ainda mais) nenhuma reação exagerada ou adversária, isso pelo bem da mulher que antes da estava surtando, tanto quanto ele mesmo estava naquele momento.

– Uau. – foi a única coisa que conseguiu dizer enquanto ainda assimilava aquela informação. Toda sua confiança de antes parecia ter sido completamente minada. Cuidar de um bebê não parecia ser tão impossível sim, agora os três realmente seriam um desafio e tanto. Será que ele daria conta? Será que Sörem daria conta? Bem, teriam que dar. E era somente nisso que pensava enquanto a medibruxa revelava o sexo dos fetos, dois meninos e uma menina, algo que parecia perfeito, mesmo que nunca tivesse exatamente imaginado. Então aquele pensamento fez com que se acalmasse mais, permitindo que desse uma longa inspirada de ar após sequer perceber que estava praticamente prendendo a respiração. Tudo ficaria bem, eles conseguiriam ser ótimos pais, nem que tivessem que pedir ajuda, para a família, para babás, amigos ou qualquer um que se voluntariasse. Aquelas crianças teriam um futuro incrível pela frente e ele se asseguraria disso, independente do que tivesse que fazer para tal. E com esse novo pensamento, permitiu que o primeiro sorriso aparecesse em seu rosto, mais genuíno do que esperava.
Lars Vanderhoff
Mundo Mágico
Avatar do usuário
Nick Bateman
 
Reg.: 29 de Mar de 2012
Últ.: 04 de Nov de 2019
  • Mensagens: 434
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 4 Pts.
  • 19 Pts.
  • 21 Pts.

Postado Por: Mary.



Voltar para Setor de Cirurgias e Internações.

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante