Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Diário do Josh - Últimos dias antes da escola. Joshua P. A. Nolan 3256 17/01/2019 às 11:12:01
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 2725 22/11/2018 às 18:19:24
É LUFA - LUFA!! Oh Ha Na 3815 08/09/2018 às 18:24:13
Indo para Hogwarts! Oh Ha Na 2917 08/09/2018 às 18:20:17
A súcubo do Apocalipse Lilith Ambrew 2847 08/09/2018 às 09:11:11

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Residência Campbell -Vaduz | Liechtenstein

Re: Residência Campbell -Vaduz | Liechtenstein

MensagemFranca [#128506] por Dahlia Pettersson » 07 Nov 2013, 21:17

  • 16 Pts.
  • 9 Pts.
  • 17 Pts.
Uma nova... tia?! - Capítulo 02


‒ Tudo bem, Bekah! ‒ Fiz um gesto positivo com a cabeça segundos depois de minha fala, rindo. A risada foi ainda mais difícil de ser contida depois que Dimitrid tentou dar uma bronca em Bekah, sem muito sucesso. Dava a impressão de que a criança na casa era ela, e não eu, o que não era lá uma mentira muito grande. Ele não parecia levar muito jeito com pessoas da minha idade, contudo ‘enfrentar’ uma mulher adulta com a maturidade de Bekah parecia ser difícil e, todavia, engraçado. Voltei meu rosto novamente para ela, enquanto meu medo de seus olhos vermelhos se dissipavam. Claro, deveria manter-me sempre alerta. Um instinto próprio de proteção que eu não sabia de onde vinha.

Melhor não perdemos tempo com esse assunto! Acho que já mencionei que são vampiros vezes demais, haha! E não estou muito afim de perder meu tempo narrando sobre esse pequeno fato. Meu interesse voltou à ele quando Dimi comentou que Bekah passaria um tempo maior do que eu esperava em nossa casa... ou seria a dele e de Zoey? De qualquer forma, foi o bastante para me alegrar. Só me arrependo de fugido tarde do orfanato. Teria de passar muito pouco tempo com eles, porque daqui pouco tempo eu iria para Beauxbattons. Esperei que alguém se dirigisse a mim, e Dimi finalmente mandou-me ir dormir. Nem pensar que, depois de me acordarem, quando eu não estava com sono, eu iria voltar pra cama!


‒ Pa... Quer dizer, Dimi! Eu não tenho culpa se vocês me acordaram nessa hora, poxa! ‒ desvirei rapidamente meu olhar para Rebekah, e um sorriso quase ocultado moldou minha face enquanto eu continuava. Claro que ele tentou contornar a situação e me convencer à ir dormir, mas eu não tinha a mínima culpa em estar sem sono e não querer voltar para a cama. Claro, um leite cairia bem nessas horas, tanto é que meu estômago roncou alto só de pensar em beber ou comer algo, o que arrancou riso dos adultos ali presentes. Nesse momento Rebekah sussurrou alguma coisa sobre waffles e Sundays de chocolate, arrancando ainda mais suspiros.

‒ Ele não me falou disso não... Faz pra mim, Dimi, faz! Por favor! ‒ quase cheguei ao ponto de implorar, mesmo resolvendo parar por aí. Não iria me rebaixar a tanto, independente de minha fome. Pensei ter visto um sorriso surgir na face de Rebekah, como se ansiasse por alguma coisa, mas achei melhor deixar para lá e pensar nos dotes de culinária que ele poderia ter, e pedi em pensamentos que ele realizasse o que eu tanto queria. Enquanto esperava sua resposta, mesmo que em poucos segundos, fiquei pensando na capacidade dos dois – ou seria dos três? De repente uma saudade de Zoey surgiu. Pena que ela estava dormindo naquele momento – em ler meus pensamentos. Será que haveria alguma maneira de contorna-los? E pouco me importei se eles lessem o que eu estava pensando, afinal, iria fazê-lo de um modo ou outro. E por mais que fosse útil, algumas vezes eu precisaria de minha própria privacidade, o que não poderia ser oferecido por eles, infelizmente.
Dahlia Pettersson
6° Ano Morrigan
Avatar do usuário
 
Localização: Brasil; RJ
Reg.: 13 de May de 2013
Últ.: 28 de Nov de 2019
  • Mensagens: 992
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 16 Pts.
  • 9 Pts.
  • 17 Pts.

Postado Por: Mah.


Re: Residência Campbell -Vaduz | Liechtenstein

MensagemAlemanha [#131127] por Dimitrid Campbell Kham » 17 Dez 2013, 22:49

  • 11 Pts.
  • 18 Pts.
  • 157 Pts.
Fala
Narração

PEQUENA CAMPBELL – CAP.5


Como sempre, minha irmã agia como uma criança. Rebekah fui transformada quando tinha dezessete anos, por isso, na maioria das vezes, a vampira sempre age como uma garota de tal idade. Nunca me arrependi ter feito isso, afinal, não suportaria uma vida sem a pirada da minha irmã. A pequena Campbell por muitos anos foi à razão dos meus sorrisos e a única pessoa que ficou no meu lado. Juntos, enfrentamos a nossa família em diversas batalhas, saindo como vencedor em todas às vezes.

– Ok pidona! Também vai ganhar seu leite. –Falei, abrindo um sorrindo paterno para Bekah, colocando Bely sentada em uma cadeira enquanto seguia em direção a geladeira. Ainda não havia entendido como a minha ruiva não havia acordado com aquela bagunça, afinal, as duas meninas estavam fazendo um barulho dos grandes. – Falem baixo meninas. Zoey está dormindo e ela trabalhou o dia todo. – Dei uma bronca, segurando-me para não rir. Não poderia dar mole para aquelas duas, ou a minha casa viraria um verdadeiro campo de guerra.

Porém, Bekah tinha mais das suas surpresas. Pelo jeito, minha irmã tinha vindo com o melhor dos seus arsenais e fazia questão de me colocar em uma verdadeira sinuca de bico.
– Não inventa Rebekah! Já está tarde. – Falei no instante em que minha irmã abriu a boca para falar da minha famosa receita, embora, fazia muito tempo que eu não fazia algo na cozinha. As coisas estavam corridas e geralmente fazíamos pratos mais rápidos em casa, embora, apenas Zoey e Bely se alimentassem. – Já disse que não. Está tarde e a Isabely deveria estar na cama. – Respondi, quando a vampira insistiu que eu fizesse sua receita favorita.

Mas, qual era chance de eu vencer aquelas duas? Nenhuma! Não pude resistir os olhares da minha irmã, parecia um cachorrinho com fome. Por outro lado, o golpe final foi às palavras da minha filha. Estava um pai muito coruja para meu gosto e deste jeito, Bely seria uma menina mimada. Zoey já havia me dito algo deste tipo, mas, ela agia da mesma forma que eu.
– Vou fazer... Mas, depois as duas vão para cama. – Estava sério, mas nenhuma das duas me davam moral. Elas haviam dominado a casa.

Revirei os olhos e segui para o armário, embora fizesse muito tempo que não fazia a minha principal receita, ainda tinha ela em minha cabeça.
– Conta você a historia. Você sabe que foi a mamãe que me ensinou. – Falei de modo sereno, fazendo os primeiros passos da receita em cima da pia. Rebekah adorava ficar em cima de mim quando eu estava cozinhando e sempre roubava alguns dos meus ingredientes. – Rebekah! Não começa. – Reclamei quando os pedaços de chocolate sumiram da pia. Ela sempre fazia isso, era terrível fazer Sunday de chocolate com a minha irmã por perto.

Tudo já estava quase pronto, quando ouvi passos vindo da sala.
– Silêncio... – Falei para as meninas, que já se deliciavam com um pouco do meu tradicional Sunday. – Mor, o que faz fora da cama? Te acordamos? – Falei, largando a receita por uns segundos e recebendo a minha noiva com um beijo nos lábios em seguida. – Falei para vocês fazerem silêncio. Acordaram ela. – Reclamei com Bely e Bekah, mas as duas tem jeito? – Ah! Mor, essa é minha irmã. Rebekah. Pirralha está e a minha noiva.
Imagem
Dimitrid Campbell Kham
Mundo Mágico
Avatar do usuário
A alma ardente que se esconde atrás de um coração congelado...
 
Reg.: 01 de Apr de 2010
Últ.: 19 de Apr de 2016
  • Mensagens: 161
  • Nível:
  • Raça: Vampiro
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 11 Pts.
  • 18 Pts.
  • 157 Pts.

Postado Por: Beto.


Re: Residência Campbell -Vaduz | Liechtenstein

MensagemAlemanha [#131322] por Rebekah Campbell Kham » 24 Dez 2013, 05:50

  • 6 Pts.
  • 15 Pts.
  • 73 Pts.
    Rebekah sentia-se muito bem, de uma maneira que não se sentia a muito tempo. Estar ao lado de seu irmão era a coisa mais maravilhosa para ela, e descobrir que agora havia mais pessoas em sua família, era o suficiente para fazer com que ela pulasse de alegria, feito uma criança quando ganha presentes. Depois de tudo o que a loira passou, viver feliz ao lado de pessoas, ou nem tanto assim, que a amassem era mais do que a vampira poderia sonhar.

    As duas loiras haviam conseguido a deliciosa sobremesa e enquanto Dimitrid preparava, Rebekah ficava a sua volta, atrapalhando-o como fazia quando eram humanos. Essa cena era um tanto quanto especial para a vampira, já que ela se lembrava de seus pais, principalmente de sua mãe. Muitas vezes Rebekah perdia o controle, por não ter tido chance de se despedir de sua mãe enquanto viva, mas agora, ela entendia que isso não resolveria nada.

    Lembranças é tudo o que ela poderia ter, e esquecendo-se do tempo ruim, ela sorria. A vampira não conteve a risada quando seu irmão tentou dar-lhe uma bronca, ele nunca conseguia.
    - Hey Dimi, faz sua receita secreta? Por favorzinho! - não custava nada ela tentar ganhar algo que apenas uma pessoa, ou nem tanto, viva poderia fazer. - Ele faz essa receita de uma forma que qualquer um fica viciado. - dessa vez suas palavras foram dirigidas a pequena.

    - Você é o melhor irmão do mundo. - falou dando um abraço no vampiro e voltando para o lado de sua sobrinha. - Conta a história dessa receita pra ela Dimi. - a ansiedade e felicidade de Rebekah podiam ser vista facilmente por qualquer um. Mas qualquer um tem o direito de ser feliz algumas vezes na vida, correto? Mesmo que essa pessoa possa viver durante séculos sem envelhecer.

    - Ta bom, eu conto seu chato... - falou fazendo bico. - Sempre que mamãe fazia essa receita, os chocolates sumiam, porque Dimitrid pegava e saia correndo. - tudo bem que a vampira havia feito pequenas alterações nessa história, mas nada de ruim poderia acontecer. Deu uma piscadela para Isabelly e correu em direção a pia, voltando em seguida com pedaços de chocolates cortados nas mãos e na boca.

    Assim que o vampiro reclamou as duas meninas caíram na gargalhada. Não tinha como levar a sério um vampiro que não conseguia controlar duas garotas menores e mais novas do que ele.
    - Isso aqui é bom demais! - Rebekah agora se deliciava com o Sunday preparado por seu irmão, assim como sua sobrinha. Estava na cara que nenhuma das duas iria para a cama depois de 'comer' tanto chocolate.

    Talvez a bagunça das duas realmente tenha feito com que Zoey acordasse, mas Rebekah não sossegaria até que ela conhecesse sua cunhada. Assim que a ruiva surgiu na cozinha e Dimitrid deu bronca nelas, a vampira começou a apontar o dedo para Isabelly e esconder o Sunday que lhe pertencia. A vampira realmente é a criança daquela casa, mas se perguntarem a ela qual é sua opinião sobre isso, ela não responderia. Rebekah é feliz e gosta de ser do jeito que é.

    - Pirralha nada! - rapidamente Rebekah se defendeu, indo em direção a ruiva que a olhava de forma engraçada. - Sou Bekah, e não sou pirralha, apenas a irmã mais linda e fofa desse metido aqui. - claro que a vampira não poderia perder a chance de brincar com seu irmão. - Quer Sunday? É a receita secreta que Dimitrid aprendeu com a mamãe, você já tomou isso quando era Samantha. - levou as mãos á boca e correu para perto de Isabelly, a empolgação fez com que ela falasse mais do que deveria.
Imagem

Imagem
Rebekah Campbell Kham
Mundo Mágico
Avatar do usuário
 
Reg.: 15 de Sep de 2013
Últ.: 15 de May de 2014
  • Mensagens: 25
  • Nível:
  • Raça: Vampiro
  • Sexo: Feminino

Rolagem dos Dados:
  • 6 Pts.
  • 15 Pts.
  • 73 Pts.

Postado Por: Nara.


Re: Residência Campbell -Vaduz | Liechtenstein

MensagemReino Unido [#131669] por Zoey Bloom » 03 Jan 2014, 05:29

  • 15 Pts.
  • 11 Pts.
  • 87 Pts.
Família
Parte 01


Muitas vezes, antes de dormir, eu ficava imaginando a minha vida. Pensando nas coisas que eu havia feito e acontecido, coisas boas e também ruins, mas a maioria positiva. Parecia que depois da chegada de Isabelly, meu coração havia sido preenchido novamente, e ao lado da pequena, eu me sentia útil. Já havia imaginado sendo mãe, mas não tão cedo, isto é, não tão rápido, porém isso era a melhor parte. Minha pequena era uma garota inteligente, meiga, linda e divertida, mesmo que ainda se sinta presa a alguns costumes de quando vivia com os trouxas, mas não a culpo. Tempo é a única coisa que eu posso dar-lhe até que se acostume com tudo a sua volta. Certas vezes eu penso que Isabelly me vê como uma irmã mais velha do que uma mãe.

Tinha ido dormir cedo, mas fazia alguns minutos que havia acordado. Ainda deitada na cama, deixei que meus pensamentos voassem para longe, sem me preocupar com qualquer coisa que seja. Dimitrid não estava na cama, e isso já era até uma coisa comum, o vampiro costumava ficar em seu escritório, ou babando em nossa filha enquanto ela dormia. Dimi era o pai mais coruja e carinhoso que eu conhecia, ganhando até mesmo de papai. Ai papai, o que o senhor imaginaria se me visse agora? Balancei a cabeça para tirar esses pensamentos e ouvi alguns gritinhos. Sabia que estava acontecendo alguma coisa, mas o que era não. Levantei-me e com cuidado comecei a andar em direção ao comodo barulhento, tentando 'ler' o que se passava.

Cheguei na cozinha e logo ouvi a voz de Dimitrid, seguido de um beijo rápido.
- Na verdade, eu estava acordada e fiquei curiosa com esse barulho. - comentei olhando para as duas loiras que estavam se deliciando com alguma obra do vampiro. Não contive o riso ao ver Rebekah, outra vampira e minha cunhada, tentando se livrar da culpa pela bagunça, quantos anos ela tem? Parece ser tão novinha. - Oi Bekah! - cumprimentei a loira e percebi que nos daríamos bem, já que ela em poucos segundos conseguiu brincar com Dimitrid. A frase dela me deixou boquiaberta, mas também curiosa. Olhei para Dimitrid tentando evitar que uma guerra tivesse inicio. - Mas é claro que eu quero, ou será que vocês duas comeram tudo? - perguntei indo para o lado de Isabelly. Sentei-me em um dos banquinhos e puxei a garota para meu colo. - Acho que vou precisar roubar a taça de alguém aqui. - falei com um sorriso no rosto. "Depois conversamos com ela Dimi." joguei em pensamento para o vampiro, dando uma piscadela para a vampira em seguida.
Imagem
Zoey Bloom
Mundo Mágico
Avatar do usuário
"Não me arrependo das coisas que eu fiz... me arrependo apenas daquilo que deixei de fazer!"
 
Reg.: 12 de Jan de 2013
Últ.: 24 de Nov de 2019
  • Mensagens: 294
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Feminino

Rolagem dos Dados:
  • 15 Pts.
  • 11 Pts.
  • 87 Pts.

Postado Por: Niica.


Re: Residência Campbell -Vaduz | Liechtenstein

MensagemFranca [#131752] por Dahlia Pettersson » 06 Jan 2014, 13:58

  • 12 Pts.
  • 12 Pts.
  • 4 Pts.
A primeira coisa que fiz quando Dimi falou sobre o sono - pelo visto um tanto pesado – de Zoey foi rir. A cada dia que passava eu amava mais aquela casa, por dois motivos: Um, meus novos pais eram super legais, e eu realmente os amava, e segundo porque eu sempre ia buscar algo pra comer de madrugada, e eu tinha certeza que Dimi sabia, e mesmo assim não falava nada! Não dava pra não amar, né? ‒ Acho que ninguém vai se surpreender muito quando Zoey chegar aqui. ‒ Logo virei para Beka e abri um sorriso, falando quase como se sussurrasse, ‒ Beka, aposto que ela vai estar com a maior cara de sono! E vai tomar um susto quando me vir acordada.

Rebekah logo tratou de responder, e sorri de volta a medida que seus lábios demonstraram os dentes ‒ Acho que você estará enganada Pequena! Garanto que você terá uma surpresa! ‒ Apenas dei de ombros e, transformando meu sorriso em algo mais desafiador, murmurei ‒ Veremos. ‒ Mas o mundo não era tão bom assim, e Dimi logo deu uma de pai-estraga-prazeres falando que eu deveria ir dormir. Bem que eu estava curiosa sobre aquela tal receita secreta! Ainda mais pelo fato de que ele era um vampiro, e receita logo me lembrava cozinha.

‒ Receita, Dimi? Sério? Oshi, e eu pensando que vampiros não precisam se alimentar de comida humana. ‒ Suspirei, derrotada, inclinando-me para vê-lo melhor. Logo segui os dois para a cozinha, esperando ele fazer a tal receita, e Bekah acabou atraindo minha atenção quando contou sobre os dois pequeninos. Duas gargalhadas, uma minha, preencheram o local sem que eu pudesse me controlar. Imaginar os dois correndo por causa de chocolate era uma visão bastante engraçada! ‒ Ah, pai! Deixa ela contar mais, só um pouquinho! ‒ Praticamente implorei, fazendo a minha melhor cara de cachorro sem dono, e soltando uma risada ao me imaginar desse jeito. Nunca fui muito o tipo de pessoa que implora pelas coisas.

Jurei por mim mesma que tinha ouvido algum barulho, e meu primeiro pensamento foi que Zoey estava vindo. Quase me escondi atrás de alguma coisa para ela não brigar comigo ao me ver acordada, mas lembrei da aposta que tinha feito com Bekah, e queria ver sua reação. Como sempre, eu estava certa. E ela tratou de dar logo um beijo no meu pai, o que me fez revirar os olhos e dizer “-Eca!”. Podia ouvir a risada que saía dos dois, ainda que baixa, contudo não me importei. Ainda que não fosse algo totalmente nojento, e sim uma demonstração de amor, aquele barulho que sempre acontecia era de fazer qualquer criança se sentir enjoada! Como é que os casais aguentavam? Juro que um dia esperava saber o por quê.
“Hum, pensando bem, é melhor não.”

E logo que as conversas cessaram, abri meu sorriso mais verdadeiro e corri em direção de Zoey, abrindo meus braços e apertando-a contra mim. Quase sem querer, exclamei ‒ Mãe! Senti sua falta! ‒ Minha mão quase foi em direção a boca, mais por instinto e por estranhar a palavra que saíra de minha boca, contudo fiquei feliz e meio aliviada ao tê-las dito. Logo tive uma pequena ideia, rindo de mim mesma por parecer algo tão estúpido e ao mesmo tempo engraçado. Simplesmente revirei os olhos, dei de ombros, imitei minha melhor voz de uma menina qualquer e disse. ‒ Hum... Pai, tia, não é essa hora que todo mundo dá um abraço em grupo ou algo assim? ‒ Era um pouco estranhos falar esses nomes. Mão, pai e tia. Mas eu me sentia numa família, e simplesmente pensar em “mim”, “com” e “família” na mesma frase já fazia com que um sorriso escapasse de meu rosto.
Dahlia Pettersson
6° Ano Morrigan
Avatar do usuário
 
Localização: Brasil; RJ
Reg.: 13 de May de 2013
Últ.: 28 de Nov de 2019
  • Mensagens: 992
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 12 Pts.
  • 12 Pts.
  • 4 Pts.

Postado Por: Mah.


Anterior

Voltar para Europa

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes