Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
22/02/2020 Duncan Cullen 75 22/02/2020 às 15:27:50
Diário do Josh - Últimos dias antes da escola. Joshua P. A. Nolan 4235 17/01/2019 às 11:12:01
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 3675 22/11/2018 às 18:19:24
É LUFA - LUFA!! Oh Ha Na 4770 08/09/2018 às 18:24:13
Indo para Hogwarts! Oh Ha Na 3866 08/09/2018 às 18:20:17

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Burg Liechtenstein [Castelo de Liechtenstein]

Burg Liechtenstein [Castelo de Liechtenstein]

MensagemUniao Europeia [#99334] por Duque de Espadas » 15 Abr 2012, 21:54

  • 14 Pts.
  • 12 Pts.
  • 38 Pts.
Imagem

Também conhecido como Castelo dos Contos de Fadas, o Burg Liechtenstein localiza-se sobre um penhasco nas montanhas suábias, em Baden-Württemberg.

Sua construção remonta 1200 d.C e fora duas vezes destruída, em 1311 e em 1381, durante a guerra do Império (Reichskrieg) pela cidade-estado de Reutlingen. Em 1802 o rei Friedrich I de Württemberg ordenou que demolissem as ruínas e erguessem, no local, um Pavilhão de Caça –ou os trouxas assim acreditam-, porém, o que realmente aconteceu foi que o tal rei lançou um feitiço sobre os escombros do Burg, ocultando dos olhos indesejáveis, reconstruindo-o como uma enorme biblioteca mágica e ponto de encontro de misteriosos bruxos de todo o mundo que ainda hoje se reúnem, algumas vezes por ano.

Os temas das reuniões, obviamente, são desconhecidos.
Duque de Espadas
Mundo Mágico
Avatar do usuário
 
Reg.: 23 de Oct de 2013
Últ.: 04 de Apr de 2015
  • Mensagens: 17
  • Nível:
  • Raça: Outros
  • Sexo: Macho

Rolagem dos Dados:
  • 14 Pts.
  • 12 Pts.
  • 38 Pts.

Postado Por: Ministério da Magia.


Re: Burg Liechtenstein [Castelo de Liechtenstein]

MensagemSeychelles [#133716] por George Hogarth » 05 Mar 2014, 19:30

  • 4 Pts.
  • 16 Pts.
  • 74 Pts.
[Casa do Sr. Hogarth]
Obs: Não que ele seja um senhor, mas gosta de como a palavra soa.


O seu reflexo no espelho parecia ok. Os cabelos estavam estrategicamente bagunçados, sem deixarem de estar alinhados onde ele queria. As sobrancelhas devidamente penteadas e a barba complemente ausente. Abriu a boca e verificou os dentes – Lindos e brancos como devem ser. – Disse passando a língua neles e tentando sugar qualquer vestígio de saliva entre os dentes para se certificar que estavam 100%. Por via das dúvidas passou o fio-dental mais uma vez. Afinal, no jogo da sedução, todo detalhe contava muito.

Usou um pouco de um corretor de pele para apagar duas manchas no pescoço, fruto de sua última incursão, duas noites atrás. “Angeline era fogosa demais”. Pensou ele enquanto finalizava dando um último retoque. O corpo estava magro, como ele sempre fora, não sarado, mas também não só puro osso. “Papai não é só um corpo bonito”. Ele costumava dizer para algumas mulheres. Vestiu o sobretudo cor de chumbo por cima de sua calca de linho da mesma cor. Afivelou o cinto preto de fivela dourada. Verificou os sapatos e o blazer. Ergueu a gola para sair, já que estava um dia chuvoso, pegou um guarda-chuvas e aparatou.



[Burg de Liechtenstein]


As cantadas intelectuais de George eram as mais difíceis de serem executadas. Primeiro porque, em 90% dos casos ele não dominava 1/5 do assunto o que, em muitos casos, tornava a conversa difícil quando a mulher resolvia iniciar o papo. Em segundo lugar, em sua maioria, elas eram antissociais e frígidas, o que dificultava o acesso. No entanto, "G" ia uma vez por mês, em média, a lugares como este, para se desafiar e tentar sair dali acompanhado. As estatísticas eram desanimadoras, mas a diversão e as risadas eram sempre garantidas.

Afastou as gotinhas que se acumulavam em seu sobretudo ao chacoalha-lo antes de pendurar no cabide. Colocou ali o seu chapéu e andou, com as mãos nos bolsos. Olhava para a frente como se soubesse para onde estava indo, usando a sua visão periférica para localizar seus alvos. Apenas duas mulheres interessantes foram vistas. As três gordinhas da sessão de culinária não o agradavam, então ele foi até a sessão da mais próxima, fingiu escolher um livro e pegou o primeiro que encontrou.

- Poções de Cura em Grau Avançado – Leu baixinho o título pensando em quem teria uma vida tão tediosa a ponto de sair de casa e vir a uma biblioteca ler um livro tão maçante quanto aquele? Abriu o livro no meio e notou que tinha figuras. Saiu foleando e reparando nos desenhos feitos a mão. Aproximando-se silenciosamente, passo a passo, da primeira ‘vítima’ quando sentiu-se um cheiro suave e doce de morango por perto. Estava vindo detrás dele, acompanhado à isto estavam passos silenciosos. Percebendo a aproximação feminina, girou sobre os calcanhares para encará-la no exato momento em que ia falar-lhe.

Ouviu ela solicitar o livro e aguardou alguns segundos encarando aqueles jovens olhos azuis. Engoliu vagarosamente e devolveu. – Terei prazer em te ceder o livro se, me disser o seu nome. Me chamo George Hogarth, e você? Disse lhe apontando uma das mesas vazias e puxando para ela uma das cadeiras. "Eu nem precisei chegar e ela já veio. Desafio número 1, iniciado". Pensou enquanto mantinha a cordialidade que o momento exigia.


Citados: Natalie J. Lightwood
Imagem

Spoiler: Mostrar
Imagem
George Leda Hogarth
George Hogarth
Mundo Mágico
Avatar do usuário
 
Reg.: 08 de Jul de 2012
Últ.: 25 de Aug de 2018
  • Mensagens: 36
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 4 Pts.
  • 16 Pts.
  • 74 Pts.

Postado Por: Zezo.


Re: Burg Liechtenstein [Castelo de Liechtenstein]

MensagemRomenia [#133720] por Natalie J. Lightwood » 05 Mar 2014, 20:11

  • 9 Pts.
  • 8 Pts.
  • 113 Pts.
Apresentação Amistosa


"Seja educada Natalie, consiga o livro e caia fora" Pensei comigo mesma sorrindo de modo cordial para o bruxo a minha frente que se apresentou como George Hogarth, ele tinha uma aparência agradável sem dúvida, seus cabelos eram levemente bagunçados e ele exalava um agradável cheiro de loção pós barba mentolada. Sem dúvida George Hogarth era um homem que não passava imperceptível, mas eu reconhecia o sorriso em seus lábios, tal como um predador. Não era tola, sabia reconhecer uma armadilha quando via uma e bruxo a minha frente deveria vir com uma placa escrito em negrito: Perigo, afaste-se. Meus sentidos nunca me enganavam.

- Natalie Lightwood, prazer - Disse simplesmente sem dar muitos detalhes, não costumava falar muito sobre mim com desconhecidos, enquanto observava ele apontar para uma mesa vazia e puxar uma cadeira em minha direção.

Por alguns segundos me peguei pensando se eu deveria entrar naquele jogo, ele era um caçador, cada gesto parecia meticulosamente calculado, talvez muitas mulheres não notasse o brilho atrás de seus olhos, mas eu havia notado e agora me pegava perguntando se estaria disposta a entrar naquela "dança".

"Vamos lá Natalie, você precisa daquele livro e ele parece ser um homem extremamente sexy, que mal há em flertar e se divertir um pouco?" Revidou minha consciência. Respirando fundo aceitei me unir a George, talvez não tivesse sido um decisão das mais inteligentes, mas eu não podia recusar a ideia de um bom jogo, além do que ele tinha em mãos exatamente o que eu precisava e eu não iria embora sem aquele livro, não tinha deslocado-me de minha casa embaixo daquela chuva fria para voltar de mãos vazias.

Eu sabia que George era quem daria as cartas, ele tinha o que eu queria em mãos e logo estava em vantagem, mas a sedução sempre foi um jogo de dois jogadores e naquele jogo apenas um poderia vencer...Ou ambos, valia-se das jogadas efetuadas durante o mesmo. De uma coisa eu estava convicta, eu não sairia sem aquele livros em mãos...Só não tinha certeza ainda de como usar minhas "cartas".

- Não costumo vê-lo muito por aqui. Novo na cidade? - Perguntei enquanto cruzava minhas pernas dando um sorriso de lado. Se ele notou o leve traço de malícia no mesmo ou não, eu não sabia, mas estava ali na minha sobrancelha levemente arqueada durante o sorriso. Por alguns segundos me xinguei mentalmente por ter escolhido calças jeans e não uma saia ao sair de casa, daria ainda mais efeito no que eu pretendia.

Respirei fundo procurando lembrar-me que era uma meio-veela e como tal não precisava usar de subterfúgios para seduzir um homem, tinha apenas que usar os movimentos certos nas horas certas. Passei minhas mãos sobre meu cabelo bagunçando o mesmo de leve procurando me dar uma aparência mais selvagem e um pouco menos casual. Mordi de leve meu lábio inferior, um tique nervoso que eu possuía desde criança e que normalmente denunciava meu nervosismos, apesar que muitos considerava o mesmo uma espécie de provocação silenciosa durante um flerte, o que me fazia rir internamente...Se eles ao menos soubessem.

Ouvindo: http://www.kboing.com.br/katy-perry/1-1266088/|| Com: George || Usando: http://www.polyvore.com/sem_t%C3%ADtulo ... 84864#fans
Natalie J. Lightwood
Mundo Mágico
Avatar do usuário
 
Reg.: 05 de Mar de 2014
Últ.: 15 de Apr de 2014
  • Mensagens: 8
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Feminino

Rolagem dos Dados:
  • 9 Pts.
  • 8 Pts.
  • 113 Pts.

Postado Por: Hadassa Máximo Vaz.


Re: Burg Liechtenstein [Castelo de Liechtenstein]

MensagemSeychelles [#133741] por George Hogarth » 06 Mar 2014, 11:28

  • 7 Pts.
  • 9 Pts.
  • 45 Pts.
Algo na atmosfera da biblioteca mudou quando a jovem Natalie começou a caminhar em direção a cadeira que lhe era oferecida. Tudo agora parecia como num espetáculo de teatro onde ela caminha sozinha num palco iluminada por um imenso holofote que persegue seus movimentos. Não era mais possível notar ninguém dentro daquela biblioteca, apenas ela. George prestou atenção em cada um dos detalhes. No belo par de pernas delineado pelo jeans super alinhado, no balançar dos quadris enquanto ela andava e na forma como ela o seduzia de forma natural. O perfume adocicado invadia as suas narinas completando a hipnose parcial à qual estava submetido.

Puxou uma cadeira ao lado dela e sentou-se. Percebeu ela mexer nos cabelos, um típico sinal corporal de uma mulher interessada. Uma leve mordiscada no lábio para complementar de vez a estratégia de conquista da moça. Ela sabia que o que queria. George pensava, a todo momento, que ele era quem ela queria, no entanto, o livro em suas mãos era o propósito de tudo aquilo, logo, era preciso negociar algo.
– Eu sou um homem de palavra Srta. Lightwood. Prometi o livro caso você me dissesse o seu nome, então aqui está ele. – Disse afastando o livro pela mesa aproximando-o das mãos dela.

- Sim, sou novo por estas bandas. - Mentiu o homem - Costumo pesquisar mais sobre poções pelo Sul da África, onde podemos encontrar ingredientes fantásticos. – Disse ele sorrindo e mostrando os dentes para a moça. Ouviu um “shiu” partindo de algum lugar a sua esquerda. – Mas por que devemos falar de assuntos chatos. – Falou sussurrando, já que estavam em uma biblioteca e não desejava ser interrompido novamente. – Que tal um café para falarmos mais sobre você? Tem uma taverna bastante interessante à duas quadras daqui. Você pode levar o seu livro e eu levo você, ambos sairemos ganhando nisso.

Uma das estratégias dele era falar e não deixar a mulher pensar muito bem sobre tudo o que estava acontecendo. Dar a uma mulher 3 focos diferentes sobre assuntos completamente diferentes para pensar era um mote bem funcional para convidá-la para sair. Muitas vezes, a ânsia por assimilar todas as informações, processar e devolver uma resposta, fazia a mulher aceitar, sem pensar com clareza, no convite. É claro que o Sr. Hogarth sabia que aquela era uma mulher diferente. Ela parecia diferente, agia diferente e falava diferente. Ele deu a ela o que ela queria, mudou de assunto levando ela a uma rápida lembrança dos ingredientes Sul-africanos e convidou-a para sair. Algum destes assuntos iria colar. Era esperar e ver.

Citação: Natalie J. Lightwood
Imagem

Spoiler: Mostrar
Imagem
George Leda Hogarth
George Hogarth
Mundo Mágico
Avatar do usuário
 
Reg.: 08 de Jul de 2012
Últ.: 25 de Aug de 2018
  • Mensagens: 36
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 7 Pts.
  • 9 Pts.
  • 45 Pts.

Postado Por: Zezo.


Re: Burg Liechtenstein [Castelo de Liechtenstein]

MensagemRomenia [#133742] por Natalie J. Lightwood » 06 Mar 2014, 12:24

  • 13 Pts.
  • 8 Pts.
  • 149 Pts.
Quem é o verdadeiro caçador?


Ele era esperto, muito. Provavelmente estava acostumado a flertar naturalmente, o que tornava o jogo ainda mais divertido. Bom ele podia escolher dançar, mas seria eu que ditaria o ritmo da música e quando ele menos percebesse estaria dançando no meu compasso...Isso se tudo desse certo.

"Nunca menospreze um adversário"Ouvi minha consciência dizer e eu sabia que ela tinha razão, não poderia entrar naquele jogo acreditando que ele estava ganho até a cartada final, a sorte sempre podia mudar de lado e pender para o adversário. No fundo da minha mente eu sabia que meu foco começava a mudar, não era mais o livro, mas o jovem bruxo que detinha o mesmo, não que eu tivesse esquecido do livro...Pelo contrário, aquele livro seria meu prêmio e George...Bom quem sabe um bônus.

Ele era esperto, sabia que tinha conseguido minha plena atenção ao mencionar ingredientes para poções vindos do Sul da África, havia lido sobre eles tempos atrás e tinha ficado curiosa, infelizmente o livro continha muita pouca informações e agora ele acenava com a ideia de ter respostas que eu gostaria de ouvir. A questão era: ele realmente tinha as respostas ou era apenas uma jogada? Arriscar ou não arriscar?

- Ah sim, ouvi falar sobre os ingredientes sul-africanos. Algumas novas poções criadas através dos mesmos foi tema de discussão em uma palestra dada pela universidade que eu frequentei, Romanian Magic Witches University e realmente foi muito interessante. - Disse dando um sorriso de lado perdida em memórias antigas da época da universidade, ás vezes sentia falta da Romênia, mas uma oportunidade de emprego tinha chamado minha atenção e eu sabia que não podia deixar a oportunidade passar.

Mas mencionar a universidade não tinha apenas o objetivo de manter a conversa, mas deixar bem claro que aquele era um assunto que eu tinha conhecimento e se ele pretendia mentir, era melhor mentir com cuidado...Eu estaria atenta, a cada pequeno sinal e movimento, e uma informação errada alertaria meus sentidos e eu saberia que todo aquele papo de ingredientes era apenas uma armadilha.

Ele comentou sobre um café e eu ergui minha sobrancelha como se dissesse "jogada típica garanhão, por que não tenta ser mais original?", o que me fez começar a questionar se ele seria um jogo realmente interessante ou mais um flerte enfadonho com nada de novo a acrescentar. Se ele pretendia me conquistar com jogadas típicas e ensaiadas, deveria começar a rever seu livro de jogadas, porque todas aquelas eu já conhecia e sabia exatamente como virá-las ao meu favor. Estava acostumada aos olhares e flertes masculinos, alguns se mostravam realmente divertidos e ás vezes evoluíam para um breve romance, outros eram rapidamente cortados e empurrados para longe.

Não que eu fosse uma mulher frígida como algumas má línguas sugeriam, em geral homens que eu havia recusado, apenas era seletiva. Sabia apreciar uma boa companhia e as regras eram claras desde o início: quando se tornasse enfadonho para um de nós dois, o envolvimento estaria terminado e cada um seguiria seu caminho. Geralmente era sempre eu que encerrava tudo, depois da morte de Aleksander e da perda de meu filho, meu coração nunca mais tinha sido realmente tocado. E ás vezes eu pegava me perguntando se algum dia ele seria novamente.

- Ah claro, eu adoraria uma xícara de café quente. - Disse deixando escapar um pouco de ironia entre meu tom de voz, se ele notou ou não, pouco importava-me. - Pode me mostrar o caminho, por favor? - Pedi dessa voz deixando minha voz sair um pouco mais doce e suave, não queria assustá-lo...Ainda não pelo menos.

Parei para observar com cuidado o bruxo a minha frente, procurando estudar cada pequeno detalhe, procurando encontrar em seu rosto sinais que me orientariam ao próximo passo. Enquanto observava as feições de George apenas uma pergunta me vinha a mente: Quem era o verdadeiro caçador ali? Eu ou ele?


Ouvindo: http://www.kboing.com.br/katy-perry/1-1266088/|| Com: George || Usando: http://www.polyvore.com/sem_t%C3%ADtulo ... 84864#fans
Natalie J. Lightwood
Mundo Mágico
Avatar do usuário
 
Reg.: 05 de Mar de 2014
Últ.: 15 de Apr de 2014
  • Mensagens: 8
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Feminino

Rolagem dos Dados:
  • 13 Pts.
  • 8 Pts.
  • 149 Pts.

Postado Por: Hadassa Máximo Vaz.


Re: Burg Liechtenstein [Castelo de Liechtenstein]

MensagemSeychelles [#133745] por George Hogarth » 06 Mar 2014, 14:02

  • 8 Pts.
  • 13 Pts.
  • 92 Pts.
- Pouco quase nada ouvi falar desta universidade da Romênia. – Disse ele como se estivesse realmente interessado no assunto. – Eu nasci em arquipélago pouco explorado e repleto de curiosidades mágicas que aposto que você gostaria de ouvir. – Disse ele puxando para um tom mais divertido e curioso da conversa. Todas as mulheres, em sua essência, são curiosas. Vamos ver até que ponto a Srta. Lightwood pode chegar. – Existe um ingrediente poderoso que pode ser colhido raspando-se a unha de uma espécie rara de tartaruga gigante que só existe por lá. – Isso ele realmente sabia, era parte da cultura local saber mais sobre os principais elementos da natureza que cercavam cada uma das 155 ilhas que foram o arquipélago. – Mas estes animais estão protegidos pela Confederação Internacional da Fauna e Flora Seichelense.

Parou e falar subitamente. O que estava acontecendo com ele? Usando todos seus conhecimentos curiosos de uma vez só? Todas as suas jogadas, no instante, foram por água abaixo. Algo naquela mulher o deixava confuso. Algo ali estava diferente. Ele se sentia diferente, como se lutasse para não ser hipnotizado por aqueles olhos azuis e pelos cabelos louros da estudiosa mulher. Seus lábios carnudos est... “Calma lá mano, fica na sua... respira fundo... respira...” Ele estava num ferrenho duelo dentro de si enquanto por fora demonstrava uma calma e serenidade impressionantes.

Não foi com espanto que percebeu que ela aceitou sair para tomar um café. É claro que ela aceitaria. Ela estava no mínimo curiosa quanto a ele e era desejo dele mantê-la assim a noite toda. Mulheres curiosas sempre rendem um segundo encontro. Pensava consigo quando notou a ironia na voz da moça. Compensada com um doce bastante perspicaz na hora certa. No entanto, as luzes pareciam ter voltado ao normal, o holofote que tinha sobre ela se apagou e, de repente, ela parecia normal, estupidamente linda e sexy, mas normal. Sem encantamentos, sem surpresas.

Como cavalheiro que era, George levantou-se e puxou a cadeira para ela levantar. Ofereceu a ela o braço direito ao qual ela, delicadamente segurou. Demoraram um tempo na fila para conseguirem levar o livro embora. Nestes minutinhos ele apenas observava o momento e calado, sentia o perfume dela impregnando em suas roupas. Caminharam juntos até o armário de casacos. Vestiu a moça e vestiu a si mesmo, colocando o chapéu do seu jeito característico. Abriu o guarda-chuvas quando saíram.

Propositalmente puxou-a para mais perto, primeiro porque não queria que ela se molhasse e segundo, porque uma situação assim não pode ser desperdiçada. Caminharam até a Taverna tomando cuidado para não pisarem em poças e nem serem surpreendidos por carros trouxas que passavam em alta velocidade molhando os pedestres. Abriu a porta e entrou na taverna, pendurando guarda-chuva, casacos e o chapéu no cabideiro atrás da porta. Dirigiram-se a uma mesa do fundo, encostada na parede, onde eles poderiam conversar sem serem incomodados ou interrompidos.



[Taverne ein'augen manticore]


- Herbert, por favor – Disse acenando com a mão para o homem detrás do Balcão. Chamou-o pelo nome dada a frequência que comparecia ao estabelecimento. – Eu vou querer um Hidromel para abrir o apetite. Mas já pode colocar aquela pizza no fogo ok? E você Natalie, o que vai querer? – Disse olhando para moça. Pouco depois após ela ter pedido, as bebidas chegaram. Tomando o primeiro gole George finalizou. – O café era apenas uma desculpa para beber contigo.

Off: As ações narradas pela Natalie foram devidamente autorizadas pela jogadora.
Dê sequência a este post postando na Taverna.

Itens Utilizados:

  • Hidromel

    Usou um Hidromel.

Imagem

Spoiler: Mostrar
Imagem
George Leda Hogarth
George Hogarth
Mundo Mágico
Avatar do usuário
 
Reg.: 08 de Jul de 2012
Últ.: 25 de Aug de 2018
  • Mensagens: 36
  • Nível:
  • Raça: Humana
  • Sexo: Masculino

Rolagem dos Dados:
  • 8 Pts.
  • 13 Pts.
  • 92 Pts.

Postado Por: Zezo.



Voltar para Armario de Vassouras

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitantes