Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Diário do Josh - Últimos dias antes da escola. Joshua P. A. Nolan 1310 17/01/2019 às 14:12:01
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 1093 22/11/2018 às 21:19:24
É LUFA - LUFA!! Oh Ha Na 1558 08/09/2018 às 21:24:13
Indo para Hogwarts! Oh Ha Na 1290 08/09/2018 às 21:20:17
A súcubo do Apocalipse Lilith Ambrew 1273 08/09/2018 às 12:11:11

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Suecia Valerie Zolnerowich [ 16546 ]

Situação Atual: CADASTRO NORMAL E ATIVO

  • Valerie Zolnerowich
  • Mundo Mágico
  • Mundo Mágico

  • NOME COMPLETO

    Victoria Alice Desirée Bernadotte

  • RAÇA

    Humana

  • CLASSE

    Mágica

  • ALTURA

    1,70m

  • PESO

    56kg

  • OLHOS

    Azul Claro

  • CABELOS

    Loiro Claro

  • SEXO

    Feminino

  • OPÇÃO SEXUAL

    Heterossexual

  • IDADE

    25 anos

  • DATA DE NASCIMENTO

    14/07/1988

  • SIGNO

    Câncer

  • NOME DO PAI

    Carlos XVI Gustavo Da Suécia

  • NOME DA MÃE

    Silvia Renate Sommerlath

  • ORIGEM SANGUÍNEA

    Sangue Puro

  • LOCALIDADE

    Mundo Mágico

  • CIDADE/PAÍS

    Estocolmo/Suecia

  • RELACIONAMENTO

    Em um relacionamento

  • NÍVEL

[b]Nascimento e Educação trouxa[/b]
Victoria nasceu dia 14 de julho em Estocolmo, sendo a filha mais velha do Rei Carlos XVI Gustavo da Suécia e de sua esposa, Rainha consorte Sílvia, pertencendo a Casa Real de Bernadotte. Nasceu como Princesa da Suécia, sendo designada como Princesa Herdeira ao completar 18 anos, após a trágica e inexplicável morte de seu único irmão mais velho. Graças a seu pai, um primo de terceiro grau da Rainha Elizabeth II, ela também está na linha de sucessão ao trono britânico. O seu nome é uma homenagem aos seus parentes. O seu primeiro nome é uma homenagem à sua trisavó, Victoria de Baden, a rainha consorte da Suécia, esposa do rei Gustavo V. O mesmo nome também glorifica a sua tataravó materna, Victoria do Reino Unido. Seus outros nomes são homenagens a sua avó materna, a brasileira Alice Sommerlath e a sua ancestral Desidéria Clary, a rainha consorte de Carlos XIV da Suécia.

Vitória frequentou uma escola pública até o 9º ano, tendo depois frequentado uma escola privada (Enskilda Gymnasiet) em Estocolmo, onde completou o curso secundário. Entrou na Universidade de Uppsala onde estudou em um programa multidisciplinar por meio do qual conseguiu contato com outras instituições. Estudou durante um ano na Université Catholique de l'Ouest em Angers, França, e dois anos na Universidade de Yale, nos Estados Unidos. A princesa também foi obrigada, sob ordens de seu rigoroso pai, a acompanhar todo o trabalho do governo sueco, a nível local e nacional, familiarizando-se com a política e economia sueca. Estudou também agricultura e desenvolvimento florestal. Entre setembro de 2006 a junho de 2007 estudou diplomacia no Ministério do Exterior sueco. Bacharelou-se na Universidade de Uppsala em junho de 2009. Trabalhou, também, como estagiária nas Nações Unidas, em New York, e na embaixada da Suécia em Washington, DC. Participou na Agência Sueca para a Cooperação e Desenvolvimento Internacional e no Conselho do Comércio Sueco em Berlim e Paris.

[b]Nomeação e deveres Reais[/b]
Victoria foi solenemente investida como herdeira do trono sueco numa cerimônia no Palácio Real de Estocolmo no dia do seu 18ª aniversário, quando proferiu discurso no parlamento diante de todos os importantes representantes políticos da Suécia, bem como o povo sueco que lhe jurou servir fielmente.

Como princesa herdeira ao trono sueco, Victoria trabalha como membro da Família Real Sueca com a sua própria agenda oficial, dando um grande suporte ao seu pai. Também participa, regularmente no Conselho de Relações Internacionais. Também participa em jantares oficiais promovidos pelos seus pais para visitantes estrangeiros de alto nível e visitas oficiais de chefes de estado, da abertura do Parlamento, celebrações do Dia Nacional Sueco e das festividades nacionais do Prémio Nobel.

Victoria faz muitas viagens oficiais como representante da Suécia. A sua primeira viagem oficial ao exterior foi ao Japão, onde ela promoveu o turismo sueco, design, música, gastronomia e sustentabilidade durante o evento sobre o estilo sueco. Na mesma época, ela viajou para a costa oeste dos Estados Unidos, onde participou nas celebrações do centenário do Prémio Nobel. Fez, também, visitas oficiais ao Kosovo, Espanha, Uganda e Etiópia. Além disso, também foi ao Egito, a Arábia Saudita - como parte de uma grande delegação sueca -, a Hungria, China e até mesmo já pisou em terrar brasileiras.

[b]Personalidade[/b]
Apesar de, ao olhar de todos, Victoria esbanjar bondade e justiça, poucos conhecem sua verdadeira natureza. Uma mulher de pulso forte e extremamente calculista, não aceita que nada saia de seu controle, sempre tomando a dianteira em qualquer decisão ou planejamento. Muitos de seus empregados julgam-na fria e impassível, mandona e muito autoritária e, obviamente, sem nenhum senso real de equidade. Desde a infância fora criada com todas as regalias típicas da nobreza. Acostumou-se a ter tudo que queria da maneira como lhe convinha e, portanto, isso moldou sua personalidade já tendenciosa ao absolutismo.

Com certa maldade velada, cheia de falsos sorrisos apenas para atender as expectativas que todos têm de uma herdeira real, Victoria agrada a muitos e, diversas vezes, é sagaz ao ponto de cultivar uma amizade indesejada. Uma mulher de fibra e movida por interesses, não sabe dar-se por derrotada em nenhuma situação, sempre motivada a continuar pelo puro prazer da vitória, mesmo que isso signifique o sofrimento alheio. Ou essa seria outra razão dos incentivos pessoais da princesa?

Suas maiores ambições estão relacionadas com tudo aquilo que o dinheiro e o poder pode trazer. Não se envolve pessoalmente com nenhum de seus empregados ou subordinados, chegando a destrata-los em certas ocasiões. Apesar disso, porta-se como uma verdadeira dama, dotada de boa etiqueta e esbanjando inteligência cultivada por uma educação dourada. Perfeccionista, odeia ver algo fora do lugar, chegando a perder a paciência e a compostura quando algo lhe foge das mãos.

Seu tratamento com os familiares é dos melhores possíveis. Até os 17 anos, viu-se sempre às sombras de um irmão mais velho destinado ao reinado, enquanto para ela nada sobraria além de um título de nobreza qualquer. Foi no ano de seu décimo oitavo aniversário que tudo mudou. Filip, seu irmão mais velho, sofre um fatal acidente. Embora fosse exímio montador, em um de seus passeios matinais a cavalo sofreu uma queda que o levou a óbito. Ninguém soube explicar a razão, muitos foram culpados, empregados demitidos, mas nunca se encontrou o verdadeiro culpado, sequer souberam se isso fora arranjado por alguém que quisesse o mal do futuro rei. Diante da tragédia, Victoria foi nomeada herdeira ao trono e, demonstrando grande sofrimento na frente das câmeras e da mídia, fez um discurso comovente onde lamentava a morte do irmão e dizia que o momento não era para celebrações, recusando-se a uma festa grandiosa como seria de costume. Por outro lado, ninguém jamais desconfiara que, fechada em seu quarto, Victoria comemorava todo o ocorrido. Aquela fora sua grande chance de abocanhar sua atual posição real.

Romanticamente, Victoria não se envolveu em nenhum escândalo. Não por falta de beleza ou sensualidade, duas características que a princesa tem de sobra. Alguns dizem que Victoria é fria demais para o amor, outros apenas sugerem que, como princesa, ela deve resguardar-se para quem quer que o pai escolha e poucos atribuem esse fato à sua falta de tempo por conta dos diversos deveres reais. A verdadeira razão é o fato da mulher não acreditar em contos de fada, contrastando ironicamente com seu título nobre. Victoria não confia nos homens, embora saiba bem como manipulá-los. Seu único relacionamento sério foi na juventude, um namoro conturbado e que lhe deixou marcas profundas que mudaram seu modo de pensar para sempre.

[b]Mundo mágico[/b]

Além de todo o fardo real que a casa Bernadotte carrega, os membros dessa família, por longas e longas gerações, foram agraciados com o dom da magia. Todos nascidos bruxos e enviados às respectivas escolas do mundo mágico. Com Victoria não fora diferente. Quando completou 11 anos, fora enviada para Beauxbatons, seguindo os mesmos passos dos pais. Sob ordens do rei Carlos XVI, foi obrigada a conciliar os estudos trouxas e bruxos. Terminou sua formação mágica com os devidos louvores e com ajuda de brilhantes professores particulares na época dos exames franceses.

Após a saída da Academia, Victoria fez cursos de herbologia, poções e outras habilidades ligadas a medibruxaria, algo que sempre chamou sua atenção. Atualmente, com seu pai ainda com as funções de chefe de estado, aguarda pacientemente que a linha de sucessão siga seu rumo natural e, enquanto isso, pretende se manter distraída com algo que lhe dê prazer pessoal. Fingindo levar uma vida normal, como uma pessoa comum, algo praticamente impossível devido a todos que a seguem e vigiam.



Este perfil já foi visualizado 717 vezes. Atualizado pela ultima vez em: 25/10/2017 às 15:42:14