Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Diário do Josh - Últimos dias antes da escola. Joshua P. A. Nolan 3096 17/01/2019 às 11:12:01
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 2574 22/11/2018 às 18:19:24
É LUFA - LUFA!! Oh Ha Na 3661 08/09/2018 às 18:24:13
Indo para Hogwarts! Oh Ha Na 2762 08/09/2018 às 18:20:17
A súcubo do Apocalipse Lilith Ambrew 2692 08/09/2018 às 09:11:11

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Monaco Violet Eleonor Burnier [ 17052 ]

Situação Atual: CADASTRO NORMAL E ATIVO

  • Violet Eleonor Burnier
  • 1° Ano Romanov
  • 1° Ano Romanov

  • NOME COMPLETO

    Violet Eleonor Burnier

  • RAÇA

    Humana

  • CLASSE

    Mágica

  • ALTURA

    1,39m

  • PESO

    35kg

  • OLHOS

    Azul Claro

  • CABELOS

    Castanho Claro

  • SEXO

    Feminino

  • OPÇÃO SEXUAL

    Heterossexual

  • IDADE

    11 anos

  • DATA DE NASCIMENTO

    13/12/2005

  • SIGNO

    Sagitário

  • NOME DO PAI

    Desconhecido

  • NOME DA MÃE

    Helena Marie Elisabeth Burnier Grimaldi

  • ORIGEM SANGUÍNEA

    Sangue Puro

  • LOCALIDADE

    Durmstrang

  • CIDADE/PAÍS

    Principado/Monaco

  • NÍVEL

O nascimento da pequena Violet não foi um evento aclamado pelos familiares e amigos como é esperado que ocorra com a chegada de um recém nascido. Não houve festa, cartões de boas vindas, tão pouco um pai ansioso para segurar nos braços sua aclamada primogênita. Violet veio ao mundo sem saber o quão desaventurada seria sua história, sem sequer imaginar os infortúnios que a aguardavam conforme atingisse idade suficiente para entender suas origens e seu passado. Nasceu sem alardes, cresceu sem a presença de um pai espirituoso ou uma mãe amorosa. A trágica história de Violet se estendia a uma vida cercada de luxo e conforto, mas vazia de qualquer afeto familiar.

Fruto do amor de Helena Burnier e um bruxo cujo nome jamais fora mencionado, Violet morou até seus recém completos 11 anos em uma casa nada singela no principado de Mônaco, recebendo visitar esporádicas - e com isso quero dizer quase inexistentes - de sua progenitora, geralmente em datas comemorativas de fim de ano. Os aniversários eram comemorados com festas dispendiosas, planejadas pelos empregados responsáveis por cuidar da menina, mas modestas quanto ao número de convidados. Inúmeras vezes Violet tinha se perguntado se perguntado se era realmente necessário um bolo de três andares. Beatrice, sua "dama de companhia", era a responsável por ensinar tudo que a garota precisava, as vezes até mais do que ela podia absorver com sua pouca idade. Era Bea quem levava Violet ao parque, onde ambas corriam por sobre a grama recém aparada, aos risos em uma infantil brincadeira de pega-pega; naqueles momentos a jovenzinha esquecia que não havia ninguém esperando seu retorno ou que não encontraria o cheiro de biscoitos de canela assando no forno quando voltasse para casa. Durante aquela agitação das tardes no parque, Violet era apenas Violet, despida de problemas os quais não conseguia compreender completamente.

Aos poucos, Vio aprendeu a ser uma garota tímida, de poucas palavras. Preocupava-se com os estudos e lições que eram dadas, quando quem sabe poderia causar uma boa impressão, quem sabe só uma vez poderia fazer algo suficientemente bom que atraísse os olhares e a atenção materna. Com o tempo, percebeu que lágrimas não era o caminho que buscava; pelo contrário, elas apenas aumentavam o buraquinho que morava em seu coração. Com o passar dos anos, aprendeu que nem todos os sonhos se tornam realidade e que milagres não existiam, se existissem não aconteciam na vida dela. Tornou-se uma garota paciente, educada, reclusa e centrada. Tentava não se deixar levar pelas emoções, tentava com toda sua força de criança agir da forma mais lógica que a situação permitisse, por mais que, muitas vezes, sua lógica infantil não fosse a mais correta.



Este perfil já foi visualizado 126 vezes. Atualizado pela ultima vez em: 25/10/2017 às 12:43:23