Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 143 22/11/2018 às 21:19:24
É LUFA - LUFA!! Venus F. Rossa 720 08/09/2018 às 21:24:13
Indo para Hogwarts! Venus F. Rossa 468 08/09/2018 às 21:20:17
A súcubo do Apocalipse Lilith Ambrew 464 08/09/2018 às 12:11:11
Fênix de Odin Lilith Ambrew 525 28/08/2018 às 01:09:34

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Uruguai Carlos Campagnaro [ 17253 ]

Situação Atual: CADASTRO NORMAL E ATIVO

  • Carlos Campagnaro
  • Mundo Mágico

  • Mundo Mágico

  • NOME COMPLETO

    Carlos Attílio Campagnaro Carrasco

  • RAÇA

    Humana

  • CLASSE

    Mágica

  • ALTURA

    1,80m

  • PESO

    84kg

  • OLHOS

    Cinza Escuro

  • CABELOS

    Preto Escuro

  • SEXO

    Masculino

  • OPÇÃO SEXUAL

    Heterossexual

  • IDADE

    42 anos

  • DATA DE NASCIMENTO

    23/10/1973

  • SIGNO

    Escorpião

  • NOME DO PAI

    Francisco Nahuel Campagnaro Heredia

  • NOME DA MÃE

    Rosa Magdalena Carrasco Ibarra

  • ORIGEM SANGUÍNEA

    Sangue Trouxa

  • LOCALIDADE

    Mundo Mágico

  • CIDADE/PAÍS

    Paysandú/Uruguai

  • NÍVEL

Carlos Attílio Campagnaro Carrasco nasceu para ser mais um gaúcho. Criar gado deveria ser sua meta de vida. E não foi nada difícil começar. Paco Campagnaro possuía um pequeno mas notável rebanho de Angus-Hereford. E para o jovem Carlos, aqueles enormes animais de pelagem vermelha eram fascinantes. Acordar ainda no escuro, vestir toda a indumentária gaúcha e sair no frio para lidar com os bovinos poderia parecer frustrante, estafante, mas o gosto pela coisa estava no sangue. Ferruccio, Nahuel, Nestor, Victorino, Oscar, Facundo, Agustín, Paco e agora ele. As primeiras histórias que aprendeu foram sobre a chegada de Ferruccio Campagnaro nas planícies do rio Uruguai, um aventureiro do sul da Itália que veio para o Novo Mundo atrás de oportunidades. Encontrou indígenas, planícies e um pouco de gado. Começou como peão raso, casou-se com uma indígena charrua e teve seu primeiro filho, Nahuel. Que também criou gado e comprou a primeira fazenda da família. E a passou para seu sucessor. Que fez o mesmo, até que depois de 2 séculos chegasse a Carlos.

Mas Carlos era diferente. Óbvio que ele tinha talento para a lida de gado. Gostava do cheiro de terra molhada, de andar a cavalo. Ordenhava como poucos. Mas possuía algo mais. Era bruxo também. E embora viver para sempre ali não fosse nenhum esforço, seu talento lhe impulsionava a conhecer o mundo. Ao atingir a idade mínima para entrar em Castelobruxo, no Brasil, sua mãe o mandou para lá. Paco ficou muito desgostoso da mulher. Achava que o menino não ia voltar e que sua linhagem estaria fadada ao fracasso. Que ele, Francisco, seria o último dos gaúchos. O mundo dá voltas, no entanto.

O que Carlos conheceu na escola de magia o fascinou. As criaturas mágicas, as plantas mágicas, os truques. Unicórnios, fadas, dragões, cocatrices, hipogrifos, trolls. E logo ele que se achava muito próximo dos animais, de ovelhas, bois, galinhas e outras aves. Que sabia manusear a boleadeira e a funda e fazer tantas outras acrobacias com facas.

Após concluir os estudos, aprofundou seus estudos na área de magizoologia. Se os rebanhos que tratava eram interessantes, o que dizer das criaturas mágicas? Ao concluir esta etapa, fez um estágio em sua antiga escola e assumiu o posto de guarda-caça de Castelobruxo. Ficou na função por 10 anos, até os 35. Tratava de pégasos, dedo-duros, até mesmo tornou-se 'amigo' dos caiporas que populavam os arredores da escola. Igualmente, gostava de assustar os alunos mais novos falando sobre os clabertos e como eram perigosos, ainda que de fato fossem inofensivos. E sugeriam que se quisessem ter sorte, que carregassem a todos os momentos pepinos consigo. Afinal nunca se sabe quando um Kappa irá aparecer.

Quando soube do falecimento de seu pai, não fazia ideia de quanto tempo havia ficado longe de Paysandú. Ao retornar ao lar, a pedido da mãe, passou a tomar conta da fazenda. Não era a mesma excitação de cuidar das criaturas da escola, mas ficar no rancho estava longe de ser ruim. E com as facilidades que a magia trazia para a jornada com o gado, a simplicidade definia. Nesse período de convivência mais próxima de Rosa, uma cozinheira de mão cheia, desenvolveu o gosto pela charcutaria, processo que envolve a salgar, defumar, conservar e preparar embutidos de carne. Com matéria-prima abundante no rancho, conseguiu apurar suas habilidades culinárias.


A estas alturas, Carlos estava resignado a cuidar da fazenda. Finalmente cumpriria sua sina de gaúcho. Eis que a vida ainda lhe faz mais uma pequena reviravolta. Um grande criador de gado na Argentina, velho conhecido do bruxo, faz um pedido algo inusitado: pede que vá cuidar de seus rebanhos na Europa. Com os filhos formados e largando o negócio da família, não havia mais ninguém em quem confiasse para criar seus animais, exceto o bom e velho Carlos, que nunca foi de rejeitar desafios.



Este perfil já foi visualizado 139 vezes. Atualizado pela ultima vez em: 04/09/2018 às 22:37:45