Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Felicidade Jian-Yin Lee 6414 23/05/2020 às 22:05:02
Recomeço Jian-Yin Lee 8768 13/03/2020 às 16:50:15
22/02/2020 Duncan Cullen 8549 22/02/2020 às 15:27:50
Diário do Josh - Últimos dias antes da escola. Joshua P. A. Nolan 12325 17/01/2019 às 11:12:01
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 11990 22/11/2018 às 18:19:24

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Tailandia Kwan Kreepolrerk [ 17712 ]

Situação Atual: CADASTRO NORMAL E ATIVO

  • Kwan Kreepolrerk
  • Mundo Mágico

  • Mundo Mágico

  • NOME COMPLETO

    Kwan Kreepolrerk

  • RAÇA

    Lobisomen

  • CLASSE

    Mágica

  • ALTURA

    1.92m

  • PESO

    86kg

  • OLHOS

    Castanho Intenso

  • CABELOS

    Castanho Intenso

  • SEXO

    Macho

  • OPÇÃO SEXUAL

    Homossexual

  • IDADE

    24 anos

  • DATA DE NASCIMENTO

    12/11/1994

  • SIGNO

    Escorpião

  • NOME DO PAI

    Desconhecido

  • NOME DA MÃE

    Desconhecida

  • ORIGEM SANGUÍNEA

    Mestiço

  • LOCALIDADE

    Mundo Mágico

  • CIDADE/PAÍS

    Tailândia/Tailandia

  • NÍVEL

Eu poderia estar fazendo qualquer coisa de mais útil. Descascando uma batata, lendo um livro ruim ou cortando as unhas dos pés (elas crescem bem rápido, acredite.) Mas, não... Estou aqui sendo obrigado a me sentar para lhes contar uma tediosa história sobre um clãzinho de lupinos tailandês que ninguém, absolutamente NINGUÉM liga. Por que? Porque a player não teve a decência de trocar um dos chars que ela tem às moscas e aqui estamos nós enrolando para dar 2200 palavras nessa porcaria. Vamos lá então?

Eu tinha uns dez anos mais ou menos quando soube para que exatamente serviam aquelas vacinas de "alergia" que vinham me dando desde... desde... Ah! Desde sempre na verdade. Aquelas idas e vindas ao TvH, ter de passear por outros países para só então levar a bendita agulhada... Bom... Aquilo tudo tinha um propósito. Me conter. Me castrar. Esconder de mim mesmo quem eu era. Porque, sim! Sou um lupino de nascença e não há uma maldita alma que possa retirar de mim o direito de ser quem slu em toda a minha glória.

É obvio que fugi de casa, certo? Consegui abrigo em um prostíbulo relativamente longe de meu povoado e cresci seguindo as regras da rua e da noite. Durante a lua cheia tinha de ser preso no porão do lugar. Acorrentado e sob a segurança das grades que eram tão fortes e resistentes que sempre me perguntei se realmente eram feitas de ferro.

Eu sempre acordava nu. Frágil. Faminto. Mas sempre acordava. Me sentia como o bichinho de estimação dos donos daquele lugar. Eles me davam comida, abrigo, água... cativeiro. E eu, em troca, defendia o lugar com todas as minhas forças e com toda a minha insanidade.

Mas eu era um foragido, certo? Isso nunca mudou. Isso nunca mudaria. Viver às sombras era uma verdadeira dor na bunda. Mas uma dor na bunda que em nada tinha chances de ser alterada. E que eu nem um pouco tinha vontade de alterar.

Ainda me lembro do dia em que aquela vampira imunda invadira o local onde eu resisdia. Como ela destroçou a pele das gargangas de cada um dos quais ela bebeu. Dos quais ela se livrou sem nenhuma dó. Ela sim iria pagar. Dera sorte que eu não estava no recinto em tal momento. Mas não daria essa mesma sorte novamente. Por isso não me importo em sair daa sombras. Nas sombras posso vigiar melhor. Posso atacar melhor. E, quando a chapeuzinho descobrir que a vovó não passava de um lobo selvagem, não haveria caçador na face da terra que a retirasse de minha barriga.



Este perfil já foi visualizado 222 vezes. Atualizado pela ultima vez em: 14/06/2020 às 07:32:39